undefined
Marcos Correa/PR - 7.6.18
Governo federal reduziu previsão do PIB, aumentou expectativa da inflação e da cotação do dólar para 2018. Sinal de que a recuperação econômica não está no ritmo planejado

O Ministério do Planejamento divulgou nesta sexta-feira (20) o relatório bimestral de avaliação das receitas e despesas e reduziu de 2,5% para 1,6% a previsão de crescimento da economia brasileira em 2018. Além disso, o governo federal também aumentou a expectativa da inflação de 3,4% para 4,2%.

Leia também: Primeira parcela do 13º salário para aposentados será antecipada para agosto

Previsão do PIB

undefined
iStock
Governo reduz previsão do PIB (soma da riquezas produzidas pelo país) no ano de 2,5% para 1,6%

Essa foi a segunda vez consecutiva que o governo alterou para baixo a previsão do PIB (Produto Interno Bruto), que é a soma das riquezas produzidas pelo país em um período determiando de tempo, no caso, o ano de 2018.

Isso é sinal de que a economia não está caminhando como planejado pelo governo. A previsão inicial era de crescimento de 2,97% e foi revisada, ainda em maio, para 2,5%. Agora, no entanto, a queda foi ainda mais acentuada.

Essa queda de expectativa, no entanto, tem explicação. Ela é devida aos resultados de indicadores que mostraram que a recuperação econômica está mais lenta do que o esperado e também consolidaram os impactos negativos da crise de abastecimento provocada pela greve dos caminhoneiros.

Para se ter uma ideia, o Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br), considerado a principal prévia do resultado do PIB, mostrou que a economia do país recuou 3,34% no mês de maio quando comparado com o mês de abril .

Apesar disso, o corte de 1,37 ponto percentual nas estimativas de crescimento da economia para 2018 ainda colocam a previsão do PIB por parte do governo acima da esperada pelo mercado financeiro. Isso porque segundo o Boletim Focus divulgado essa semana pelo Banco Central , a expectativa das instituições financeiras para o PIB de 2018 é de crescimento de apenas 1,5%.

Expectativa da Inflação

undefined
shutterstock
Inflação foi reajustada para cima nesta sexta-feira, mas ainda permanece abaixo do centro da meta do governo federal

Movimento parecido, também aconteceu com a inflação. Com o reajuste da expectativa da inflação de 2018 de 3,4% para 4,2%, a previsão do governo se aproxima mais daquela feita pelo mercado que, atualmente, de 4,15%.

É verdade que a meta central da inflação estabelecia pela equipe econômica do governo federal no começo do ano é de 4,5%. Mas o sistema de metas implementado no Brasil há alguns anos prevê uma margem de 1,5 ponto percentual para mais ou para menos, estabelecendo como limite os 3% e os 6%. Dessa forma, se as expectativas se confirmarem, a inflação desse ano deverá ficar dentro do planejado.

Leia também: Receita cancela adesão de 700 contribuintes ao Novo Refis; e vem mais por aí

Flutuação do Câmbio

undefined
shutterstock
Governo também aumentou em R$ 0,20 a expectativa da média da cotação do dólar frente ao real ao longo do ano

Além da previsão do PIB e da expectativa da inflação, o documento divulgado nessa sexta-feira também revelou quanto o governo entende que o dólar estará valendo frente ao real. Nesse caso, o Ministério do Planejamento resolveu aumentar a previsão para a taxa média do câmbio em relação ao dólar, de R$ 3,40 para R$ 3,60. Enquanto isso, o mercado espera fechar o ano com uma cotação de R$ 3,70. Atualmente, o dólar está valendo R$ 3,77.

    Veja Também

      Mostrar mais