Tamanho do texto

Crescimento expressivo chega após quatro anos seguidos de prejuízos e de um processo de reestruturação e redução do endividamento da companhia

Petrobras diz que aumento no lucro pode ser explicado pela alta nas cotações internacionais do petróleo
shutterstock
Petrobras diz que aumento no lucro pode ser explicado pela alta nas cotações internacionais do petróleo

A Petrobras anuciou, nesta terça-feira (8), um crescimento de 56,5% no lucro líquido do primeiro trimestre deste ano frente ao mesmo período do ano passado, chegando a R$ 6,96 bilhões. Além disso, a estatal também aumentou o preço da gasolina vendida às distribuidoras, que passou de R$ 1,8177 a R$ 1,8404.

Leia também: Grupo deve pagar R$ 75 mil por demitir jornalistas que participaram de greve

Este crescimento expressivo chega após quatro anos seguidos de prejuízos e de um processo de reestruturação e de redução do endividamento da companhia, que teve início após as denúncias da Operação Lavo Jato. Segundo a Petrobras , este é o melhor resultado trimestral desde o início de 2013, quando a empresa havia lucrado R$ 7,69 bilhões.

De acordo com a estatal, o aumento no lucro pode ser explicado pela alta nas cotações internacionais do petróleo, que saíram de US$ 53,8 na média do primeiro trimestre de 2017 para US$ 66,8 este ano.

A mudança no preço do exterior também permitiu que a empresa obtivesse margens mais elevadas nas exportações de petróleo e gás natural, assim como na venda de derivados. A empresa também teve ganhos com a alienação de ativos de Lapa, Iara e Carcará no pré-sal da Bacia de Santos.

Leia também: Receita Federal libera hoje consulta ao lote residual do Imposto de Renda

“Este é um resultado certamente bastante positivo e que espelha não apenas o esforço que está sendo feito na empresa nos últimos tempos, e que acontece em todas as áreas, consolidando a recuperação”, diz Pedro Parente, presidente da estatal.

Segundo o mandatário da estatal, além de consolidar o processo de recuperação da empresa, “o balanço indica resultados financeiros positivos, com redução da alavancagem [da dívida], redução de custos e gerando uma base muito sólida para que a companhia possa criar uma base muito sólida em direção ao pleno retorno na direção do aumento da sua capacidade exploratória, cuja área cresceu 25%".

Leia também: Neon fecha parceria com Banco Votorantim e voltará a operar normalmente

“O indicador financeiro, que é a relação entre a dívida líquida e o Ebitda [sigla em inglês que significa lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização] também registrou melhora, saindo de 3,67 vezes para 3,52, reafirmando o compromisso estabelecido no plano de negócios da Petrobras de chegar ao fim do ano com uma relação dívida líquida/Ebitda ajustada de, no máximo, 2,5 vezes”, afirma Parente.