Brasil Econômico

Brasil Econômico

undefined
shutterstock
As restituições do Imposto de Renda serão pagas do dia 15 de junho até 17 de dezembro, em sete lotes mensais

Quem perdeu o prazo do dia 30 de abril para enviar a Declaração do Imposto de Renda Pessoa Física já pode prestar as contas para o leão a partir desta quarta-feira (2). De acordo com a Receita Federal, o contribuinte será multado em 1% do imposto devido por mês de atraso (limitado a 20% do imposto total) ou em R$ 165,74, prevalecendo o maior valor. O sistema gerará automaticamente a guia para o pagamento do tributo acrescido da multa.

Leia também: Para ser justa, faixa de isenção do IR deveria ser de R$ 3,5 mil; entenda

Pelo menos 29 milhões de contribuintes enviaram a declaração do Imposto de Renda  neste ano, o que significa um crescimento de 1,63% em relação ao ano passado. Vale destacar que a expectativa da Receita era receber 28,8 milhões de documentos.

Restituições

As restituições do IR serão pagas do dia 15 de junho até 17 de dezembro, em sete lotes mensais. O critério de reembolso será o tempo, ou seja, quanto antes o contribuinte tiver entregado a declaração com os dados corretos à Receita, mais cedo será ressarcido.

Além disso, também têm prioridade no recebimento pessoas com mais de 60 anos de idade, contribuintes com deficiência física ou mental e aqueles que têm doença grave.

Leia também: Criminosos usam proximidade com o Dia das Mães para aplicar golpe pelo WhatsApp

Extrato

Para quem quiser acompanhar o processamento da declaração do IR, basta ir até o  Centro Virtual de Atendimento (e-CAC), no site da Receita. Por meio do extrato, é possível verificar pendências e fazer uma declaração retificadora para evitar cair na malha fina.

Quem deve declarar o Imposto de Renda?

A declaração é obrigatória para pessoas físicas que tiveram, em 2017, rendimentos tributáveis superiores a R$ 28.559,70. Também devem realizar a declaração as pessoas que:

  • tiveram receita bruta acima de R$ 142.798,50 a partir da atividade rural; 
  • receberam rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte com soma foi superior a R$ 40 mil; 
  • obtiveram, em qualquer mês, ganho de capital na alienação de bens e direitos, sujeito à incidência do imposto, ou que realizaram operações em bolsas de valores; 
  • pretendem compensar prejuízos com a atividade rural de anos-calendário anteriores ou de 2017; 
  • tiveram, em 31 de dezembro de 2017, a posse ou a propriedade de bens e direitos, inclusive terra nua, de valor total superior a R$ 300 mil; 
  • que passaram à condição de residentes no Brasil em qualquer mês e assim se encontravam em 31 de dezembro; 
  • que optaram pela isenção do Imposto de Renda incidente sobre o ganho de capital com a venda de imóveis residenciais para a compra de outro imóvel no país, no prazo de 180 dias contados a partir do contrato de venda.

Leia também: Viajar de graça? Conheça direitos "esquecidos" que são garantidos a aposentados

*Com informações da Agência Brasil

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários