Tamanho do texto

Na investigação, a fabricante Emmett UK disse que, devido às etapas do processo de produção, a couve foi contaminada pelo objetivo após a compra

Brasil Econômico

O preservativo, que foi encontrado apenas no dia seguinte pela consumidora, tinha alguns pelos
Reprodução
O preservativo, que foi encontrado apenas no dia seguinte pela consumidora, tinha alguns pelos

Chrissie Gilbert é uma moradora da cidade de Lincoln, na Inglaterra, que, assim como muita gente, está em busca de uma alimentação saudável diária. Entretanto, parece que esse objetivo da consumidora acabou sendo frustrado. Isso porque, no começo do mês de março, ela encontrou um preservativo usado – e com pelos – dentro de um  pacote de couve .

Leia também: Para ganhar espaço nos aviões, empresa quer colocar passageiros quase de pé

De acordo com o portal internacional Mirror , Chrissie comprou o pacote no supermercado Tesco e serviu a couve no jantar da família. O  preservativo , no entanto, foi encontrado apenas no dia seguinte, quando ela foi pegar um punhado de folhas para os seus porquinhos-da-índia comerem.

“Assim que eu percebi o que era, joguei as folhas no chão. Imediatamente me senti mal e preocupada comigo e com a minha família que comemos aquela couve na noite anterior”, relatou a consumidora.

Diante da situação, a família de Chrissie foi imediatamente ao hospital para fazer exames relacionados ao diagnóstico de doenças sexualmente transmissíveis. Os médicos lhe asseguraram que as chances de uma infecção eram mínimas.

Leia também: Carrefour pagará indenização de R$ 30 mil a consumidor chamado de "bicha"

Investigação

Após a denúncia da consumidora à rede de supermercados, a fabricante Emmett UK, que forneceu a couve à Tesco , confirmou que o item era uma camisinha, mas que, devido às etapas do processo de fabricação da empresa, a couve apenas foi contaminada pelo objetivo após a compra.

Insatisfeita com a conclusão da investigação, Chrissie conta que considerou o relatório do fornecedor realmente insultuoso. “Na opinião deles, [o preservativo] foi adicionado após a compra. Sendo assim, ‘concluíram’ que eu e o meu marido colocamos o preservativo no pacote de couve. Eles acham que não temos nada melhor para fazer?”, indagou.

Leia também: Após acusação de racismo, Starbucks fechará oito mil lojas nos EUA por um dia

Em resposta, um porta-voz da Emmett UK disse o seguinte “Todos os dias, colhemos, trituramos com um fatiador de quatro lâminas, peneiramos e lavamos 40 mil sacas de couve. Para garantir que o produto chegue ao cliente em excelentes condições, existem diversas verificações rigorosas de controle de qualidade, já que o processo envolve niveladores ópticos capazes de detectar objetos estranhos”.  No final, a empresa lamentou que a consumidora tenha ficado insatisfeita com a conclusão da investigação e que está aberta a discutir o caso do preservativo com Chrissie.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.