Tamanho do texto

Liberação das contas inativas do FGTS, em 2017, injetou R$ 44,3 bilhões na economia, beneficiando 26 milhões de pessoas, com valor médio de R$ 1.704

Brasil Econômico

Contas inativas do FGTS: ao menos R$ 1,83 bilhão foi destinado ao pagamento de compras por meio de cartões de crédito
Arquivo/Agência Brasil
Contas inativas do FGTS: ao menos R$ 1,83 bilhão foi destinado ao pagamento de compras por meio de cartões de crédito

O Banco Central (BC) mapeou os impactos da liberação do recurso dos saques das contas inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e divulgou nesta quinta-feira (29) que o trabalhador utilizou boa parte do benefício para comprar imóveis.

Leia também: Desemprego cresce e atinge 13,1 milhões de brasileiros, aponta pesquisa do IBGE

De acordo com a instituição, dos R$ 13,055 bilhões analisados, 38,4% foram destinados para a redução do endividamento, 14% para o aumento de gastos no cartão de crédito, 2,6% para a redução de inadimplência, enquanto que 40,5% do valor das contas inativas do FGTS mapeado foi utilizado para a compra de imóveis. Vale destacar que, em 2017, foi fornecido o total de R$ 44,3 bilhões.

O BC acredita que ao menos R$ 15 bilhões, que representa 54% dos recursos totais sacados, foram utilizados para investimentos e ativos financeiros e para financiar gastos com outros meios de pagamento, como dinheiro, cartão de débito, boleto e transferências bancária.

Já o valor sacado por indivíduos sem acesso a cartão de crédito ou a empréstimos do setor bancário e, portanto, não incluídos na análise, o BC hipotetiza que os recursos, avaliados em R$ 16,1 bilhões, foram destinados ao consumo.

Leia também: Netflix lança "Loja da Corrupção" com cueca doleira e capinhas para tornozeleira

FGTS contribui para queda do endividamento

Segundo estimativas do Banco Central, houve queda de aproximadamente R$ 5 bilhões no endividamento, excluindo novos financiamentos de veículos e imóveis. Além disso, o relatório aponta para retração de R$ 335 milhões na inadimplência, e impacto positivo de R$ 7,7 bilhões nas despesas das famílias.

Ao menos R$ 1,83 bilhão foi destinado ao pagamento de compras por meio de cartões de crédito, tanto à vista quando parcelado.

Quando se trata de compra de bens duráveis, R$ 590 milhões do montade das contas inativas foram gastos como entrada para compra de veículos, enquanto R$ 5,3 bilhões foram destinados como entrada para compra de imóveis.

A liberação das contas inativas do FGTS do ano passado injetou R$ 44,3 bilhões na economia nacional e beneficiou, ao menos, 26 milhões de indivíduos, com saque médio de R$ 1.704.

Leia também: Imposto de Renda 2018: Confira passo a passo de como acessar o extrato da DIRPF

*Com informações da Agência Brasil

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.