Tamanho do texto

Para 2018, as instituições financeiras projetam a inflação de 3,96%, resultado 0,4 ponto percentual (p.p) inferior ao estimado anteriormente, de 4%

Brasil Econômico

BC divulgou o ajuste de 0,96% para 0,98% do Produto Interno Bruto (PIB)
shutterstock
BC divulgou o ajuste de 0,96% para 0,98% do Produto Interno Bruto (PIB)

A estimativa para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) foi reduzida pela quinta vez seguida. Desta vez, o resultado divulgado pelo Banco Central (BC) do mercado financeiro passou a projeção de 2,83% para 2,78%.

Leia também: Brasil pode se tornar o único país do mundo a cobrar royalties pelo vento

A nova baixa registrada no boletim Focus desta semana está ainda mais longe do centro da meta de inflação de 4,5%, com limite inferior de 3% e superior de 6%. Vale destacar que, quando o índice fica fora desses patamares, o BC elabora uma carta aberta ao ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, argumentando sobre o descumprimento da meta.

Em setembro, a estimativa também ficou abaixo do piso, mas depois voltou a ficar dentro do intervalo de tolerância. Entretanto, no boletim Focus do dia 11 de dezembro, o mercado financeiro projetou uma estimativa inferior à meta novamente. E, caso ela se confirme, será a primeira vez que a meta será descumprida por ficar abaixo do piso.

Nos 11 meses do ano, o IPCA chegou a 2,5%, o menor resultado acumulado para o período desde 1998, quando foi registrado 1,32%. Em janeiro, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgará o resultado do IPCA neste ano.

Já para 2018, as instituições financeiras projetam a inflação de 3,96%, resultado 0,4 ponto percentual (p.p) inferior ao estimado anteriormente, de 4%.

Leia também: Brasileiros pagam juros do rotativo mais caros do mundo, indica levantamento

PIB e Selic

Assim como a inflação vem sofrendo uma sequência de quedas, a taxa básica de juros, a  Selic , também foi reduzida pela décima vez seguida e chegou à marca de 7% ao ano. Na reunião do dia 6 de dezembro, o Comitê de Política Monetária (Copom) reduziu a taxa em 0,5 p.p, quando a Selic estava em 7,5% ao ano. Para o final de 2018, o mercado financeiro espera que a Selic seja de 6,75% ao ano.

Em relação à soma de todos os bens e serviços produzidos no País, o Produto Interno Bruto (PIB), o BC divulgou o ajuste de 0,96% para 0,98%, neste ano, enquanto que para 2018 a expectativa passou de 2,64% para 2,68%.

Leia também: Meirelles não descarta aumento de impostos para cumprir a meta fiscal

*Com informações da Agência Brasil

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.