Tamanho do texto

"Se não tivermos cuidado, e ensinarmos a tecnologia apenas em países ricos, a consequência será uma desigualdade social ainda mais acentuada", veja

Brasil Econômico

Durante o evento Misk Global Forum em Riade ocorrido na última semana, na Arábia Saudita, o cofundador da Microsoft e agora o bilionário filantrópico, Bill Gates, compartilhou seus pensamentos sobre os avanços tecnológicos, incluindo a Inteligência Artificial (IA). Gates, que antes alertou sobre os desafios que a IA poderia trazer, disse ao público em um painel moderado do portal de notícias CNBC, que os benefícios da IA superarão amplamente as possíveis armadilhas da tecnologia – particularmente na área de saúde.

Leia também: Google admite que rastreia localização de usuário mesmo com GPS desligado

Bill Gates também apontou como a IA e a robótica remodelarão a paisagem trabalhista no mundo desenvolvido
shutterstock
Bill Gates também apontou como a IA e a robótica remodelarão a paisagem trabalhista no mundo desenvolvido

"Estamos em um mundo de escassez, mas esses avanços nos ajudarão a enfrentar todos os principais problemas", disse Bill Gates ao CNBC. "Precisamos resolver essas doenças infecciosas. Precisamos ajudar os profissionais de saúde a fazer o trabalho deles".

Gates também apontou como a IA e a robótica remodelarão a paisagem trabalhista no mundo desenvolvido. "À medida que desocuparmos a mão de obra com trabalhos como a fabricação, podemos deslocá-la para algumas dessas necessidades mais centradas no ser humano", explicou. O CEO e fundador da Boston Dynamics, Marc Raibert, falou sobre os mesmos benefícios da robótica no início de outubro.

Gates acrescentou, no entanto, que existe o perigo de que esses avanços não ajudem a todos, se desenvolvidos de maneira errada. "Se não tivermos cuidado, e ensinarmos a tecnologia apenas em países muito desenvolvidos, a consequência será uma desigualdade mais acentuada entre ricos e pobres”, advertiu.

Leia também: Presidente da Microsoft fala sobre prevenção à guerra cibernética

Outros pontos de vista

Embora Gates sempre tenha reconhecido que a IA poderia causar perda de emprego, bem como preocupações sobre uma superinteligência perigosa, ele afirmou que não há motivo para entrar em pânico. Sobre isso, Gates encontra-se no lado oposto da cerca, em comparação com o CEO e fundador da Tesla, Elon Musk, que tem se pronunciado regularmente sobre os perigos da IA ​​super inteligente.

Em uma entrevista para o noticiário The Wall Street Journal em setembro, Gates descreveu essa diferença de opinião como "um caso em que Elon e eu discordamos". Ele acrescentou: "O chamado problema de controle sobre o qual Elon está preocupado não é algo de curto prazo”.

Musk não é o único que tem avisado sobre a IA. O físico teórico, Stephen Hawking, sempre viu os desenvolvimentos em IA como o prenúncio de um apocalipse onde os robôs superam a humanidade, começando por assumir os empregos humanos. Recentemente, Hawking disse a WIRED em uma entrevista que "a AI pode substituir os humanos completamente".

Como Gates, no entanto, Hawking afirmou durante a conferência de tecnologia Web Summit em Lisboa, Portugal, de acordo com a Express que "podemos criar IA para o bem do mundo. Que isso pode funcionar em harmonia com as pessoas".

E, como Musk, Hawking pede uma regulamentação mais adequada para o desenvolvimento da IA. "Nós simplesmente precisamos estar conscientes dos perigos, identificá-los, empregar a melhor prática possível, e preparar suas consequências com bastante antecedência", disse. E você, concorda com Bill Gates, Elon Musk ou Stephen Hawking?

*Com tradução de futurism.com

Leia também: Amazon amplia seu marketplace e passa a vender artigos para casa; veja

    Leia tudo sobre: inovação
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.