Tamanho do texto

Segundo o Instituto, esse é o primeiro resultado negativo em toda a Federação desde que o indicador começou a ser medido, isso em 2002; veja

Brasil Econômico

PIB medido por estados pelo IBGE, apontou que em 2015 todos tiveram queda no indicador
shutterstock
PIB medido por estados pelo IBGE, apontou que em 2015 todos tiveram queda no indicador


Dados das Contas Regionais, que mede o Produto Interno Bruto (PIB) dos estados brasileiro, indicam que todos os locais, sem exceção, tiveram queda no indicador em 2015. Os dados foram divulgados nesta quinta-feira (16) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e apontam a primeira queda do PIB em todas as unidades da Federação brasileira desde o começo da analise desses dados, ou seja, 2002.  Em 2015, o PIB nacional caiu 3,5%.

Leia também: Nova proposta do governo prevê 44 anos de contribuição por teto da aposentadoria

O IBGE apontou ainda nesta pesquisa que apenas cinco estados brasileiros responderam por 64,7% do PIB nacional, sendo São Paulo com 32,4%, Rio de Janeiro com, 11%; Minas Gerais com 8,7%; Rio Grande do Sul com 6,4% e Paraná com 6,3% de participação.  Juntos, no entanto, eles tiveram a participação encolhida no total da economia brasileira em 0,2 ponto percentual, em relação a 2014.

O estudo ressaltou que o PIB de São Paulo teve alta de 0,2 ponto percentual (p.p.) ao se comparar 2015 com 2014, sendo o estado com a maior perda acumulada na série histórica iniciada em 2002.  Nesses 13 anos, a perda chegou a 2,5 p.p., o que fez o indicador passar de 34,9% para 32,4%.

Ainda na comparação entre 2014 e 2015, os melhores resultados foram apurador no estado de Mato Grosso do Sul, com queda de -0,3%; Roraima  com retração de -0,3% e Tocantins com recuo de -0,4%. As quedas mais acentuadas ocorreram no Amapá (-5,5%), no Amazonas (-5,4%) e no Rio Grande do Sul (-4,6%).

“Os estados que tiveram melhor resultado foram bastante influenciados pela agropecuária. O que pesou negativamente foi a indústria de transformação, o comércio e a construção civil. Todas essas atividades tiveram quedas expressivas”, disse o responsável pela pesquisa.

Regiões

O IBGE ressaltou ainda o fato de que a Região Sudeste, mesmo respondendo por parcela significativa do PIB , ou seja, 54% de participação, manteve a tendência registrada nos últimos anos de retração de sua participação no total da economia, tendo perdido em 2015 0,9% de participação. A queda acumulada desde 2002 pela região chega a 3,4 pontos percentuais.

Foi apuradop que a Região Norte teve sua participação na economia aumentada em 0,7 ponto percentual, o Nordeste com 1,1 ponto percentual, o Centro-oeste  com 1,1 p.p. e a Região Sul, com 0,6 p.p., todas ganhando espaço do PIB nacional.

“Na série 2002-2015, a Região Sudeste é a única que perdeu participação. Na verdade, todos os estados das regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste ganharam participação, exceto Alagoas, Distrito Federal, Amazonas e Sergipe. O que mais ganhou participação foi Mato Grosso, com avanço da fronteira agrícola, entre outros fatores. Santa Catarina e Pará também ganharam bastante participação”, informou o gerente da pesquisa do IBGE. 

*Com informações da Agência Brasil 

Leia também: Zara é responsabilizada por trabalho escravo e pode entrar na "lista suja"

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.