Tamanho do texto

Investimentos da Oi em todo o Brasil somaram R$ 3,8 bilhões entre os meses de janeiro e setembro; somente no Rio, foram investidos R$ 880,3 milhões

Modernização da infraestrutura e expansão de capacidade da rede estão entre as prioridades da  Oi
Reprodução
Modernização da infraestrutura e expansão de capacidade da rede estão entre as prioridades da Oi

A Oi investiu R$ 3,8 bilhões em todo o Brasil considerando o período acumulado entre os meses de janeiro e setembro, crescimento de 11,6% na comparação com o mesmo período do ano passado. Somente no Rio de Janeiro, foram investidos R$ 880,3 milhões.

Leia também: Bovespa opera em alta, com avanço de 29% no lucro das empresas no 3º trimestre

No total, a Oi implantou 72 novos sites de telefonia móvel no Rio, além de ter ampliado e modernizado outros 295 sites. Foram mais de 63,6 mil portas de banda larga instaladas para o atendimento aos clientes que desejam usufruir do serviço de internet da companhia.

Entre as prioridades da empresa estão a modernização da infraestrutura e a expansão da capacidade da rede, assim como a realização de ações preventivas com aumento de produtividade e a digitalização para oferecer uma melhor experiência aos clientes.

Segundo a operadora, os investimentos em rede, a melhoria no atendimento e a oferta de serviços personalizados resultaram em aumento de 2,3% na receita líquida de serviços do terceiro trimestre do ano frente ao trimestre anterior. Já a receita líquida do segmento Residencial teve um acréscimo de 4,2% no mesmo período, motivada pela expansão das receitas de televisão paga e banda larga.

Leia também: IBGE apontou queda do PIB em todos os estados brasileiros em 2015

“Estamos vivendo um ponto de inflexão importante porque estamos vendo uma recuperação da economia no terceiro trimestre. Na Oi conseguimos aumentar as vendas do Oi Total,  produto convergente que garante receita mais alta; tivemos crescimento das recargas do pré, que tem correlação com a melhora da curva de desemprego; e, conseguimos, inclusive, registrar crescimento de 0,6% no número de clientes no B2B. Esse número não era positivo desde 2014. E estamos falando de clientes corporativos: pequenas e médias empresas, grandes clientes e governo”, diza Marco Schroeder, CEO da operadora.

Ainda segundo a companhia, também vem sendo registrada uma melhora na experiência dos clientes com a redução contínua dos indicadores de reclamação. Na Anatel, as reclamações caíram 13,9% no terceiro trimestre em relação ao mesmo período do ano passado e, no JEC, a queda foi de 33,7% no mesmo período.

Recuperação judicial

Apesar da alta nos investimentos e do lucro obtido no ano, a empresa tem em andamento o maior pedido de recuperação judicial da história do Brasil. No total, são 55.080 credores e um montante de R$ 64 bilhões em dívidas a serem negociadas.

Leia também: Inflação apurada pelo IGP-10 recua para 0,24% em novembro, mostra FGV

Em pauta desde 2016, o pedido de recuperação judicial da Oi teve sua primeira proposta realizada em setembro do ano passado. Até agora, no entanto, não houve um avanço muito claro nas negociações com os credores.

*Com informações da Agência Brasil

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.