Administração de uma micro ou pequena empresa faz empresários perderem, em média, 135 dias ao ano
iStock
Administração de uma micro ou pequena empresa faz empresários perderem, em média, 135 dias ao ano


Estudo econômico realizado pela consultoria Plum a pedido da Sage, identificou que os micro e pequenos empresários brasileiros gastam, em média, 135 dias por ano com trabalhos voltados exclusivamente a tarefas administrativas das empresas.  A média global é de 120 dias, equivalente a 5% da mão de obra total dos proprietários de pequenos negócios.

Leia também: Empresa familiar: confira quatro dicas para este tipo de negócio

Para identificar o tempo gasto com administração, foram entrevistados empresários de diversos mercados como o da Austrália, Brasil, Canadá, França, Alemanha, Irlanda, Singapura, África do Sul, Espanha, Reino Unido e Estados Unidos.

Foi identificado que no Brasil, a maior parte do tempo é direcionado as questões referentes à contabilidade da empresa, com 21%. Em segundo aparece o tempo com a emissão de faturas com 15% e em terceiro nesta divisão está o tempo gasto com demais tarefas operacionais como recrutamento de pessoas e demais funções do setor de recursos humanos com 12%.

Ainda de acordo com o estudo divulgado, a perda em produtividade pelo tempo alocado com as atividades administrativas nas PMEs brasileiras chega a R$79,5 bilhões. 

Você viu?

Leia também: Confira cinco dicas de marketing digital para o mercado B2B

Produtividade

De acordo com o estudo, a perda em produtividade pelo tempo alocado com as atividades administrativas nas PMEs brasileiras chega a R$ 79,5 bilhões. Análise feita identificou que, os 12% do tempo gasto com rotinas referentes ao setor de recursos humanos dentro de uma empresa de pequeno é totalmente desproporcional com uma de médio porte, que gasta 3% do tempo para tais demais.

“Isso significa que há espaço para um ganho de eficiência nos negócios desse segmento. O excesso de atividades burocráticas, somado à complexidade da legislação brasileira e à carga tributária, são grandes entraves para o crescimento dos negócios desse segmento no país, que é responsável por mais de 50% dos empregos”, avaliou em nota o presidente da Sage Brasil e América Latina, Jorge Santos Carneiro.

Outro ponto destacado pelo estudo foi a não digitalização de algumas demandas, como por exemplo, a emissão de notas fiscais, sendo que 48% das micro e pequenas empresas não utilizam nenhum sistema automatizado para tal função. Atualmente, 22% dessas empresas estão completamente digitalizadas e 29% usam parcialmente serviços tecnológicos.

Outros fatores como custo para implantação de tal tecnologia , tentativa de terceirização do processo e falta de habilidade dos empresários em usar esses sistemas tecnológicos também foram mencionados pelos respondentes quando questionado sobre o uso de softwares de gestão. 

Leia também: Saiba o que fazer para melhorar a comunicação de uma empresa

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários