Brasil Econômico

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) determinou que as operadoras, cujos serviços foram interrompidos desde a última terça-feira (24), nos estados do Norte e Nordeste devem ressarcir os clientes, mesmo que o rompimento dos cabos de fibra ótica tenha sido causado por terceiros.

Leia também: Demora nos leilões do pré-sal fez Brasil perder R$ 1 trilhão, informa ANP

Anatel planeja concluir até o final de novembro as 140 mil entrevistas com consumidores para medir o grau de satisfação dos clientes
Anatel
Anatel planeja concluir até o final de novembro as 140 mil entrevistas com consumidores para medir o grau de satisfação dos clientes

A postura da Anatel é vista com positividade pelos clientes do Acre. Segundo o diretor do Procon do estado, Diego Rodrigues, a situação mais grave ocorreu no Acre, uma vez que todas as operadoras ficaram sem sinal de telefonia em toda a região durante a quarta-feira (25) e a quinta-feira (26). 

Rodrigues declarou que o Procon notificou a Oi, a Claro, a Tim e a Vivo para que prestem  informações sobre a situação do serviço que foi interrompido nas datas. “Aguardamos por um posicionamento oficial e, de acordo com as respostas, instauraremos um processo administrativo que pode resultar na aplicação das multas previstas no Código de Defesa do Consumidor ”, relatou.

Leia também: Governo não discute abertura de capital da Caixa, diz secretária do Tesouro

Descaso?

O diretor do órgão apontou que embora os serviços das operadoras sejam caros, problemas relacionados às telecomunicações são frequentes, e que por isso, o Procon orienta que se o consumidor se sentir no prejuízo que os procure para formalizar a queixa e solicitar maior rigor da Anatel na fiscalização das operadoras.

Você viu?

Na última quinta-feira (26), os clientes das regiões sul e leste do Maranhão e do Pará também tiveram os serviços da Oi afetados por terceiros. Mais cedo, no mesmo dia, os serviços de telefonia móvel, banda larga e telefonia fixa da operadora foram interrompidos no Acre e em Rondônia. Segundo a Anatel, a Oi demorou cerca de quatro horas para reestabelecer a prestação dos serviços no Acre e em Rondônia.   

Entretanto, na quarta-feira (25) houve o rompimento de outra fibra da Oi no Acre, que ocasionou na ausência dos serviços entre as 23h e 2h de quinta-feira (26). Clientes da Embratel também foram afetados, entretanto a espera pelo retorno dos serviços demorou 15 horas.

Mais um dia. Por volta de 12h30 de quinta-feira (26), outra fibra ótica da Oi no Acre foi rompida. A Agência Nacional declarou que a via foi recuperada por volta das 14h. Segundo o coordenador de projetos da CPqD, Fernando Gobbi, esses rompimentos de cabos de fibra ótica são causados por diversas razões.

“Há muito problema com o rompimento de cabos, seja provocado por construções e serviços de terraplanagem, seja porque ladrões os confundem com os que têm fios de cobre e os roubam. Para evitar a interrupção dos serviços, as empresas costumam usar um sistema de proteção que permite que os sinais sejam desviados para outras vias quando uma fibra se rompe. Mas quando ocorre o duplo rompimento, a interrupção é inevitável”, explica Gobbi, que revela já haver tecnologias disponíveis no mercado que agilizam a identificação do problema, proporcionando que o reparo seja feito em menos tempo.

“É uma solução que não impede que o cabo se rompa, mas que evita que os técnicos percam muito tempo procurando o ponto onde houve o rompimento, reduzindo o prejuízo para os consumidores”, conclui.

Leia também: BNDES libera transferência de R$ 17 bilhões para o Tesouro Nacional

Grau de satisfação do consumidor

A Anatel planeja concluir até o final de novembro as 140 mil entrevistas com consumidores de serviços de banda larga fixa, telefonia fixa e móvel e TV por assinatura para medir o grau de satisfação dos clientes com os serviços prestados pelas operadoras. Os resultados devem ser divulgados em março de 2018.

* Com informações da Agência Brasil

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários