Brasil Econômico

Brasil Econômico

Ter uma empresa familiar tem as suas vantagens, mas é também neste tipo de negócio que existem os desafios mais complexos, uma vez que questões de ego e assuntos familiares podem ser misturados à gestão da empresa.

Leia também: Pesquisa: empresários preveem queda na tomada de crédito para investimentos

undefined
shutterstock
Empresa familiar: "Deve haver uma vaga tanto para uma pessoa de fora quanto para um membro da família", diz Sá

E um dos reflexos dessa problemática pode ser conferida em um estudo que afirma que cerca de 12% dos negócios familiares chegam à terceira geração, enquanto que apenas 1% atinge à quinta. Renato Sá, que é diretor de estratégia e marketing da Tintas MC, separou algumas dicas sobre gestão de uma  empresa familiar .

Sá faz parte da segunda geração que atua na companhia, e relata que já passou por diversas situações em que foi essencial deixar de lado a questão familiar para decidir o melhor para a empresa. Confira quais pontos devem ser seguidos de acordo com ele:

1.     Meritocracia

A meritocracia é um dos principais erros cometidos pelas empresas familiares. “Para ocupar um cargo de responsabilidade é preciso capacidade. Desta forma, deve haver uma vaga tanto para uma pessoa de fora quanto para um membro da família”, adverte Sá ao defender que a oportunidade de crescimento de alguém da família na empresa deve vir a partir do mérito e não por ela fazer parte da família.

2.     Busque profissionalismo

Sempre há a necessidade de buscar um funcionário fora da família, uma vez que é este o profissional – ou grupo – que vai lidar com o negócio sem emoção e enxergar diferentes resoluções para os problemas.

Leia também: Compliance tem maior atenção dos empresários após repercussão da Lava Jato

3.     Saiba separar assuntos familiares

Não misture problemas internos da família com os assuntos da empresa. Sá explica que essa postura pode gerar desconforto no ambiente de trabalho , o que acaba impactando diretamente nos resultados e rendimento do negócio. “Um grande erro é levar os problemas da empresa para a família, mas o maior é levar os problemas familiares para a empresa”, aponta.

4.     Estratégia do negócio: seja maior do que o seu ego

Separe totalmente qualquer relação na hora de tomar uma decisão para a sua empresa familiar. Renato Sá diz que pode acontecer de algum primo ou irmão ter uma ideia diferente da sua, o que pode resultar até mesmo em um conflito. Nesses casos, ele conta que o ideal é pensar na melhor opção para a companhia, sem competições.

Leia também: Confira cinco dicas de marketing digital para o mercado B2B

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários