SPC Brasil aponta que 28% das empresas brasileiras investirão em propaganda para aumentar vendas
iStock
SPC Brasil aponta que 28% das empresas brasileiras investirão em propaganda para aumentar vendas

A economia ainda está em processo de recuperação, e com isso, vendas próximas a datas importantes para o consumo se tornam as grandes apostas dos varejistas para fecharem o ano de maneira positiva. De acordo com um levantamento elaborado pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), três em cada 10, ou seja, 35% das empresas brasileiras devem aderir à Black Friday  este ano. 

Leia também: Operação brasileira da Amazon passa a comercializar eletrônicos

Para especialistas, a estimativa é significativa, uma vez que o evento, que ocorrerá na última sexta-feira de novembro ainda está se estruturando no Brasil, chegando a sofrer prejuízos acerca de sua reputação e do cumprimento da promessa de oferecer produtos a preços reduzidos. “Para os empresários, diferentemente das promoções convencionais, trata-se de uma liquidação de época, cujo objetivo é liquidar o máximo de produtos das lojas com intuito de renovar estoques e aquecer as vendas”, explica o presidente do SPC Brasil , Roque Pellizzaro.

A pesquisa aponta que aproximadamente 28% dos empresários acreditam que as vendas da Black Friday deste ano serão iguais às do ano passado, enquanto 18% estimam que sejam melhores. Entre os que pretendem participar, 21% afirmaram que já investiram em seus estabelecimentos para a data, com 46% tendo em vista as promoções para aumentar as vendas.

Em relação às estratégias mais recorrentes, 30% estimam ampliar a variedade de produtos e 28% investir em propaganda da empresa. Por outro lado, 32% dos empresários entrevistados asseguraram não pretender participar do Black Friday 2017.

Você viu?

Leia também: Ministério da Fazenda autoriza alta de 6,12% nas tarifas de serviço dos Correios

Natal

Mesmo que o evento ocorra tradicionalmente na última sexta-feira de novembro, faltando apenas um mês para as festas de final do ano, 53% dos empresários não o veem como um indicativo de vendas para o Natal. Enquanto 25% acreditam que a Black Friday mostre como serão as vendas em dezembro.

Para a economista-chefe do Serviço de Proteção ao Crédito, Marcela Kawauti, as duas datas representam eventos com propósitos diferentes. “O ato de presentear no Natal representa uma importante tradição, rodeada de simbolismos e elementos emotivos que são considerados na compra de presentes. Já na Black Friday, trata-se de uma compra pessoal, com a finalidade de aproveitar um grande desconto. Ainda assim, as vendas no Black Friday podem indicar um consumidor mais otimista e com possível mais apetite às compras no Natal”.

O SPC Brasil ainda evidenciou que aproximadamente 60% dos entrevistados não acreditam que a Black Friday interfira nas vendas de Natal. Outros 23% enxergam o evento como uma contribuição para a alta nas vendas de final de ano, sendo o setor de serviços o mais beneficiado, para 26% deles. A minoria, com 5% afirma que a Black Friday prejudica as vendas natalinas.

Leia também: Veja sete dicas para usar o Instagram e alavancar as vendas

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários