Brasil Econômico

Brasil Econômico

undefined
Reprodução/YBLook
aplicativo de moda ajuda na escolha de roupas

Uma pesquisa da grife Marks & Spencer evidenciou que as mulheres gastam, em média, 17 minutos para decidir o que vão vestir . Se considerado o período entre 18 e 60 anos, o resultado seria seis meses de suas vidas para a conclusão da escolha. A situação se mostra incômoda para 15% das entrevistadas, que afirmaram ter alterações de humor por conta do ocorrido. Agora, imagine: e se tudo isso fosse otimizado com a ajuda de um aplicativo?

Leia também: Veja sete dicas para usar o Instagram e alavancar as vendas

Há anos esta questão chama a atenção da farmacêutica, Patrícia Kawashima. Apaixonada por moda fez cursos de consultoria e estilo e de fashion blogging e depois de participar de congressos sobre empreendedorismo no Vale do Silício, na Califórnia, Estados Unidos, em 2014 e 2016, Patrícia, que já havia sido premiada pela elaboração de uma rede social para pesquisa clínica, resolveu criar um aplicativo colaborativo de moda, intitulado Your Best Look ( YBLook ).

Para ela, independentemente de nos preocuparmos ou não com a moda, cada indivíduo tende a passar uma mensagem – seja de forma consciente ou inconsciente - por meio de suas vestimentas.  “A ideia do Your Best Look é auxiliar na escolha do look de maneira que o visual reflita uma mensagem positiva sobre a pessoa e sua decisão de moda. Através dos feedbacks que recebe dos usuários sobre seu figurino, a pessoa pode avaliar como o seu visual está impactando nas outras pessoas, além de adquirir conhecimento de moda”.

Conceito e funções

Seu funcionamento é simples: o usuário posta uma foto no app com o look a ser avaliado e recebe opiniões dos demais. Ao visualizar a foto, a pessoa pode sinalizar se o figurino está certo ou errado, ressaltando qual peça tornou o look um sucesso ou não tão bom assim. Para que as avaliações fiquem mais efetivas, os usuários podem usar hashtags para identificar a ocasião, como #LookTrabalho, #Almoçocomasogra, #LookBalada, entre outras opções.

O YBLook se apresenta como uma opção para coletar opiniões isentas acerca do figurino, o que diminui as chances de as pessoas mentirem sobre as peças escolhidas. O perfil dos usuários do app é diversificado, incluindo também profissionais de moda, o que torna o feedback mais rico, devido as diversas referências, porém ainda imparcial. “Esta troca de opiniões entre pessoas comuns é uma forma democrática de vivenciar a moda no dia a dia e contribui para o aprimoramento do estilo de cada um” afirma a empreendedora.

Leia também: Dinheiro está perdendo espaço para as transações digitais na China

O app pode também ser uma boa ferramenta para os indecisos, já que atua em diversas ocasiões, desde a compra de uma nova peça ou se é ou não o momento ideal para se desfazer daquela roupa que está há anos sem sair do armário. No que se diz respeito a privacidade, o usuário pode ocultar o rosto para não ser identificado ou pode postar uma imagem somente do pescoço para baixo.  Além disso, somente o avaliado poderá acessar o resultado com as considerações finais.

Para os que não se preocupam em manter o anonimato, os feedbacks podem ser compartilhados nas redes sociais. Os usuários do YBLook ainda podem acessar informações sobre tendências de moda. As marcas também podem se beneficiar do app, por meio de anúncios segmentados, que vêm acompanhados de relatórios de preferência dos utilizadores. “A plataforma é praticamente uma vitrine viva o que torna o espaço propício para os anunciantes”, ressalta.

Além de uma paixão antiga, a empreendedora viu na moda uma grande oportunidade de negócios . O Brasil, por exemplo, saltou da sétima para a quinta posição dos maiores consumidores mundiais de roupas. Mesmo sem notarem, as pessoas integram esse mercado, que aumentou a vontade de  Patrícia em criar um aplicativo colaborativo. ”A proposta do YBLook não é ditar padrões de moda, é ajudar a encontrar caminhos para que as pessoas fiquem bem com o seu próprio estilo”, conclui.

Leia também: Quanto vale suas informações genéticas? Startup transforma dados em negócio

    Leia tudo sobre: aplicativo

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários