Brasil Econômico

Brasil Econômico

O Google acabou de conseguir a licença do Federal Communications Commission (Comissão Federal de Comunicação, em tradução - FCC), órgão responsável pelo controle de transmissões interestaduais e internacionais por fio, rádio e outros meios, para implantar seus balões do Projeto Loon sobre Porto Rico e parte das Ilhas Virgens.

Leia também: Inteligência artificial será instalada em cinemas para desvendar ações humanas

undefined
Google/X Company, Project Loon
Laboratório Alphabet X Google, que abriga o Projeto Loon, disse que a parceria com redes locais de telecomunicações é fundamental para o sucesso

O Google poderá fornecer cobertura até o dia 4 de abril de 2018. Se tudo correr de acordo com o plano, os balões de hélio fornecerão atendimento celular emergencial LTE aos governos locais e residentes, permitindo que entrem em contanto com familiares e amigos. Isso também lhes permitirá restabelecer a comunicação com o mundo exterior e gerenciar os esforços de socorro. Neste momento, é incerto o quanto de Porto Rico e das Ilhas Virgens terão cobertura, assim como quantos balões serão implantados pela empresa.

Esta não será a primeira vez que o Google enviará seus provedores de cobertura de Hélio LTE para ajudar nas consequências de um desastre. Os balões já deram cobertura aos peruanos depois que as inundações extremas devastaram a energia elétrica e também testaram as iniciativas na França, no Brasil, na Nova Zelândia, na Indonésia e no Sri Lanka. Contudo, no Peru era simples, porque o Google já estava trabalhando em conjunto com um provedor local de telecomunicações para fornecer assistência em decorrência dos desastres, pois a estrutura para obter sinais de e para os balões já estava no lugar.

Quando o Google e o Project Loon chegarem em Porto Rico, eles começarão sem nada no lugar. Nesse momento, as companhias de telecomunicação de Porto Rico podem não ser formalmente associadas ao Google e fornecer quaisquer recursos para essa colaboração, mas obviamente, o Google pretende fazer a conectividade. Em uma declaração ao blog Engadger, o laboratório Alphabet X Google, que abriga o Projeto Loon, disse que a parceria com redes locais de telecomunicações é fundamental para o sucesso: “Para fornecer sinais aos dispositivos das pessoas, a Loon precisa ser integrada com a rede de parceiros de telecomunicações – os balões não podem fazer isso sozinhos. Fazemos progressos sólidos neste próximo passo e agradecemos a todos os que estão emprestando uma mão”.

Leia também: Esta fazenda vertical produz comida três vezes mais rápido que o modelo regular

Encontrando o desafio

O Projeto Loon usa sua rede de balões a 65 mil pés do solo para receber sinais de um parceiro de telecomunicações do chão, e em seguida, os enviam para usuários de celulares. De acordo com o blog Mashable, o líder do projeto peruano disse que os balões enviaram 160 GB de dados enquanto flutuavam em uma área do tamanho da Suécia, “dados suficientes para enviar e receber cerca de 30 milhões de mensagens do WhatsApp, ou 2 milhões de e-mails”.

Depois que o furacão Maria devastou a infraestrutura de Porto Rico, e mais de 75% das torres de celular foram danificadas, a força elétrica ainda deve ser restabelecida em 90% da ilha. A situação continua preocupante para a ilha e seus 3,5 milhões de habitantes, que são cidadãos americanos. Esperemos que esta iniciativa do Google seja bem sucedida.

Leia também: Face ID: Apple lança novos detalhes sobre reconhecimento facial; confira

*Com tradução de futurism.com

    Leia tudo sobre: inovação

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários