Tamanho do texto

Pesquisa mostrou que 71% dos empreendedores enfrentaram dificuldades nos primeiros 12 meses, por falta de conhecimento ou planejamento falho

Brasil Econômico

Diferente do que muitos pensam, começar um e-commerce requer investimentos
shutterstock
Diferente do que muitos pensam, começar um e-commerce requer investimentos

Grande parte das pessoas que pensam em abrir um negócio online têm expectativas parecidas: inaugurar o site, pagar alguns anúncios e viver sem chefes, sem cobranças e sem preocupações. A realidade, porém, é bem diferente. Para conseguir sucesso no e-commerce ou em qualquer operação virtual é preciso persistência, planejamento e conhecimento para divulgar o seu produto.

Leia também: Crise econômica faz brasileiro mudar forma de se locomover, aponta pesquisa

"Algumas causas de fracasso se originam na ilusão de que o negócio virtual precisa de pouco investimento, análise e pesquisa", diz Bruno Pinheiro, empreendedor digital. "É muito comum errar na compra de ferramentas e ter falhas graves no atendimento", disse ele. As dicas valem aos que querem abrir um e-commerce, até aos que vão apostar em outras vertentes do mercado online. 

De acordo com um levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em 2016, mais de 22% das empresas fecharam as portas antes de concluir um ano no mercado. Uma pesquisa do Sebrae mostrou que 71% dos empreendedores enfrentaram dificuldades nos primeiros 12 meses, seja por falta de conhecimento ou pelo planejamento financeiro falho. Segundo Pinheiro, é necessário desmistificar alguns pontos, em relação a empreendimentos digitais. Confira:

1) Zero investimento

É comum pensar que, ao disponibilizar um produto na internet, as chances de ser bem sucedido são grandes. Óbvio que sonhar é fundamental para quem quer começar um negócio, entretanto é necessário ser realista e ter um bom planejamento dos negócios. "Existem empreendedores que querem economizar no website, ao utilizar algumas plataformas que não possuem indexação orgânica no Google", compara Pinheiro

A fórmula para empreender tanto no físico como no digital, segundo o especialista, acaba sendo a mesma, e é necessário ter um capital mínimo para investir em recursos básicos, desde o desenvolvimento do logo, site e até na contratação de ferramentas que venham a ser úteis nos negócios. "Não comprometa mais do que você pode", alerta.

2) Produto de sucesso certeiro

Mesmo que seja feita uma grande campanha de marketing, mostrando a eficiência do produto, quem irá determinar se ele é bom ou não será o consumidor. Para o especialista, a autoridade de uma empresa digital só vai crescer se o empreendedor estudar e entender a persona que irá atingir. "É preciso ter humildade para saber que nada se nasce pronto. Achar que sabe tudo é a maneira mais rápida e certeira de quebrar a cara", enfatiza.

Leia também: Conheça a tecnologia que permite mudar canais da TV com qualquer objeto

3) Sempre ter razão

Ao tentar empreender, muitas pessoas acham que podem ser do jeito que sempre foram, sem se atualizar profissionalmente. "A zona de conforto é uma grande armadilha para qualquer um",explica Pinheiro, que complementa: "Quando quebramos essa monotonia conhecemos nossos limites e, assim, aparecem as melhores oportunidades e experimentamos coisas novas".

4) Divulgação antes de tudo

Muitos anúncios geram tráfego no site, que gera dinheiro. Certo? Não necessariamente. "Essas pessoas que estão entrando em contato com você, que estão conhecendo o seu produto, precisam ser as que têm interesse no que você faz", diz o especialista.

É essencial Investir em marketing , de acordo com Pinheiro. Ele diz que "isso dá um excelente retorno de investimento, mas só se for realizado de maneira correta" É preciso acertar o alvo. "Descubra onde está o seu público-alvo e vá atrás dele", completa.

5) Replicar conteúdo

Grande parte dos empreendedores digitais se esconde para não produzir conteúdo. Pode ser por timidez, por medo ou por falta de conhecimento. Eles acabam inventando diversas desculpas para isso. Uma dessas justificativas é a de que é possível vender sem conteúdo.

Leia também: Consumidor paga até 70% em impostos nos produtos para o Dia das Crianças

"Se você entrar na internet pensando em vender, vai se dar mal", afirma. "Você precisa entrar na internet pensando em conquistar clientes, por meio de conteúdos relevantes e que estejam de acordo com sua opinião. Assim, você não tem um simples comprador, tem um multiconsumidor. Ele que permanecerá ao seu lado", finalizou o especialista em e-commerce.