Tamanho do texto

A dívida bruta, que contabiliza os passivos dos governos federal, estaduais e municipais, chegou a R$ 4,768 trilhões no mês, representando 73,7% do PIB

Brasil Econômico

BC mostra que governos estaduais apresentaram superávit primário de R$ 78 milhões em agosto
shutterstock
BC mostra que governos estaduais apresentaram superávit primário de R$ 78 milhões em agosto

O Banco Central (BC) divulgou nesta sexta-feira (29) que o setor público consolidado, composto por União, estados e munícipios, apresentou defict primário - receitas, menos despesas e gastos com juros - de R$ 9,529 bilhões nas contas públicas no mês de agosto. Com isso, o resultado ficou abaixo dos R$ 22, 267 bilhões do mesmo mês do ano passado.

Leia também: Calendário PIS/Pasep: saques podem ser feitos a partir de 19 de outubro

Segundo informações do BC , nos oito meses do ano, o deficit ficou em R$ 60,850 bilhões, ante aos R$ 58,859 bilhões de janeiro a agosto do ano passado. Em 12 meses, encerrados em agosto, o deficit primário ficou em R$ 157,782 bilhões, o que corresponde a 2,44% do Produto Interno Bruto (PIB), a soma de todos os bens e serviços produzidos no Brasil.

No mesmo período, o Governo Central (Previdência, Banco Central e Tesouro Nacional) registrou deficit primário de R$ 9,916 bilhões.  O resultado negativo foi ocasionado pela Previdência, com deficit de R$ 16,888 bilhões, enquanto o Tesouro teve superávit de R$ 7,058 bilhões e o Banco Central, déficit de R$ 86 milhões.

Superavit e dívida líquida

Os governos estaduais apresentaram superavit primário de R$ 78 milhões, enquanto os municipais registraram resultado positivo de R$ 421 milhões. Em relação às empresas estatais federais, estaduais e municipais – desconsiderando os grupos Petrobras e Eletrobras – houve superávit déficit primário de R$ 111 milhões no mês anterior.

Leia também: Desemprego atinge 13,1 milhões de brasileiros até agosto, diz IBGE 

No oitavo mês do ano, os gastos com juros nominais ficaram em R$ 36,012 bilhões ante R$ 40,676 bilhões do mesmo período de 2016. Já o defict nominal, formado pelo resultado primário e os resultados de juros, alcançou R$ 45,541 bilhões, em contraposição aos R$ 62,943 bilhões de agosto do ano passado. Em 12 meses, terminados no mês passado, o deficit nominal ficou em R$ 581,309 bilhões, correspondendo a 8,98% do PIB.

No que se diz respeito à dívida líquida do setor público, relativa ao balanço entre o total de créditos e débitos dos governos federal, estaduais e municipais, o resultado chegou a R$ 3,245 trilhões em agosto, o que corresponde a 50,2% do PIB. Vale mencionar que em julho deste ano, a taxa foi de 49,6%.

O BC ainda expôs que a dívida bruta , que contabiliza somente os passivos dos governos federal, estaduais e municipais, chegou a R$ 4,768 trilhões no período, o que representa 73,7% do PIB, com uma alta de 0,6 ponto percentual se comparado ao mês anterior.

*Com informações da Agência Brasil

Leia também: Não operar próprias franquias leva ao fracasso, diz vice-presidente da ABF Rio 

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.