Tamanho do texto

Pequenos negócios geraram 47,4 mil postos de trabalho no mês de agosto, enquanto as médias e grandes empresas fecharam cerca de 12,5 mil vagas

Setor de serviços foi o maior responsável pela criação de empregos nos pequenos negócios
Divulgação/Sebrae-SP
Setor de serviços foi o maior responsável pela criação de empregos nos pequenos negócios

As micro e pequenas empresas brasileiras apresentaram um saldo positivo de criação de empregos pelo quinto mês consecutivo. Segundo o levantamento feito mensalmente pelo Sebrae com base no Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgado pelo Ministério do Trabalho, os pequenos negócios geraram 47,4 mil postos de trabalho em agosto, enquanto as médias e grandes empresas fecharam cerca de 12,5 mil vagas.

Leia também: Precatórios e recursos extras de leilões asseguram meta fiscal, diz ministro

"Já são sete meses de saldo positivo. Após cinco meses seguidos de bons resultados, podemos afirmar que a economia está se recuperando, e que as micro e pequenas empresas são fundamentais para alavancar esse processo", diz o presidente do Sebrae, Guilherme Afif Domingos.  De janeiro a agosto, os pequenos negócios acumularam saldo positivo de quase 327 mil empregos , enquanto as médias e grandes empresas extinguiram 182,4 mil postos de trabalho.

Assim como no quadro geral, o setor de Serviços é o principal responsável pelo bom desempenho de geração de postos de trabalho pelas micro e pequenas empresas neste ano. Somente em agosto, este setor foi responsável por 28 mil novos postos de trabalho e, no acumulado do ano, por 204 mil, ou seja, por 62% das contratações com carteira assinada.A Agropecuária foi a única que apresentou resultado negativo em agosto, com o encerramento de 12,6 mil vagas.

Leia também: Estoque do Tesouro Direto cresce 34,6% em agosto e chega a R$ 47,7 bilhões

O segundo setor que mais gerou vagas de trabalho entre as micro e pequenas empresas no último mês foi o Comércio , com a criação de 14,2 mil novos postos, o que representa mais um sinal de recuperação, já que esse é o único setor que, no acumulado do ano, ainda apresenta um saldo negativo de 20,7 mil.

Em agosto, a Construção Civil abriu 8,9 mil postos, e a Indústria, 8,4 mil. No acumulado do ano, esses dois setores apresentam, respectivamente, saldos positivos de 28,3 mil e 36,7 mil postos de trabalho.

Leia também: Governo desbloqueia R$ 12,8 bilhões do Orçamento após nova meta fiscal

No saldo geral, que considera o número total de contratações menos o de demissões, foram registrados 35.457 novos empregos no mês de agosto. No acumulado do ano entre os meses de janeiro e agosto, o saldo é de 163,4 mil novos postos, aumento de 0,43% em relação ao estoque de dezembro de 2016.  

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas