Tamanho do texto

O governo pode optar pela privatização, abertura de capital e até mesmo, manter os Correios operando da forma atual, disse o ministro; entenda

O governo estuda formas de como será feita a reestruturação da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT). A afirmação foi feita pelo ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab, nesta quinta-feira (31).

Leia também: Contratação de temporários no comércio do Rio terá queda de 16% neste verão

O ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab, afirmou que reestruturação dos Correios está em discussão
Marcos Corrêa/PR
O ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab, afirmou que reestruturação dos Correios está em discussão


Entre as opções para a reestruturação dos Correios estão: privatização , abertura de capital e até a manutenção do modelo atual, porém tudo está em análise no governo. Apesar de ainda não haver uma decisão, Kassab defendeu alterações, que ele chamou de avanços.

“É importante para que a empresa seja cada vez mais eficiente, mas também defendo que os Correios tenham um tratamento diferenciado. É uma das empresas mais estimadas pelos brasileiros, mais querida, com serviços prestados ao longo da história do Brasil, e, portanto, qualquer alteração, se acontecer, vai ser feita com muito cuidado”, destacou ele.

Segundo o ministro a avaliação de um novo modelo administrativo para a operação é fundamental devido às mudanças no setor de logística. Hoje a situação de monopólio operacional não corresponde ao momento econômico atual, uma vez que a concorrência tem se tornado mais acirrada, em especial no segmento de entregas.

Leia também: IBGE: taxa de desemprego cai para 12,8% no trimestre encerrado em julho

Crise

Com receita em queda, recentemente a ECT anunciou a criação de plano de demissão voluntária e fechou agências, tudo para reduzir os custos operacionais da estatal. Após as medidas, todas anunciadas no ano passado, as discussões relativas à nova administração da empresa ganhou força no governo.

Questionado sobre uma data para a conclusão desses estudos e sobre a escolha do novo sistema administrativo, o ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações não quis antecipar prazos para que a discussão seja encerrada.

Enquanto não há uma proposta definitiva do governo e da sociedade sobre o tema, Kassab afirmou que os Correios trabalham em busca de eficiência administrativa, o que deve provocar resultados já neste ano, com a redução do deficit de R$ 2 bilhões acumulado, em 2016, pela instituição.

Leia também: Petrobras aumenta preço da gasolina em refinarias em 4,2% a partir de sexta