Tamanho do texto

Precisão da tecnologia chega a 90%; Software analisa a imagem capturada pelo drone e distingue se o animal localizado é um tubarão ou não; confira

Brasil Econômico

As ocorrências de ataques de tubarão são relativamente raras, entretanto, eles continuam sendo motivo de medo em muitas áreas costeiras. E na Austrália, esse sentimento tem um peso maior, uma vez que 31% dos últimos ataques mundiais de tubarão aconteceram em suas águas, ficando apenas atrás dos Estados Unidos. Dos 26 ataques ocorridos no país da Oceania em 2016, dois foram letais. Veja como a Inteligência Artificial (IA) está sendo usada na causa.

Leia também: Bitcoin: Vietnã deve reconhecer legalmente  moeda criptografada até 2019

Inteligência Artificial para salvar vidas: 31% dos últimos ataques mundiais de tubarão aconteceram na Austrália
shutterstock
Inteligência Artificial para salvar vidas: 31% dos últimos ataques mundiais de tubarão aconteceram na Austrália

Para ajudar esses números a chegarem a zero, pesquisadores da Universidade de Tecnologia de Sydney (UTS) estão desenvolvendo um drone com Inteligência Artificial para monitorar algumas das áreas costeiras e avisar os banhistas da proximidade de um tubarão. Vale destacar que já implementaram drones para monitorar os tubarões nas costas, mas essa é a primeira vez que a IA está sendo usada como arma contra os ataques.

De acordo com a agência de notícias, Reuters , os humanos têm uma precisão de 20% a 30% para identificar um tubarão da vista aérea. Enquanto que o pesquisador da UTS, Nabin Sharma, disse que a precisão da sua tecnologia chega a 90%. O software analisa a imagem capturada pelo drone e distingue se o animal localizado é um tubarão ou não.

Leia também: Impressora 3D cria casa de 37 m² em apenas 24 horas; veja

Monitoramento do céu

Os drones do projeto são nomeados de Little Ripper Lifesavers , e são equipados com um megafone para avisar sobre uma possível presença de tubarão. Um bote salva-vidas e um farol de emergência fazem parte do kit. A companhia também está trabalhando em um repelente eletrônico de tubarão para deter os ataques.

“Não se trata de substituir completamente o ser humano, mas sim sobre oferecer às pessoas um trabalho de maior precisão com o drone É esse o propósito da aplicação”, disse Sharma. Os drones com IA começarão o patrulhamento em algumas praias da Austrália já no próximo mês.

Além de salvar as pessoas de lesões e de uma possível morte, o sistema pode também ajudar a preservar a população de tubarão. Os seres humanos tem papel de convidados nos oceanos, enquanto que o mar é o lar dos tubarões. Com a ajuda de drones e Inteligência Artificial, podemos ajudar a nos mover para um lugar aonde os tubarões e os seres humanos possam desfrutar o mar em um estado de harmonia cautelosa.

Leia também: Comunicação quântica é aplicada pela primeira vez em território real

*Com tradução de futurism.com

    Leia tudo sobre: inovação