Tamanho do texto

O prazo para adesão ao programa de recuperação fiscal era até o dia 31 deste mês, porém o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, informou nova data

Brasil Econômico

Refis: governo tenta prorrogar prazo de adesão ao Programa de Recuperação Fiscal
José Cruz/Agência Brasil
Refis: governo tenta prorrogar prazo de adesão ao Programa de Recuperação Fiscal


Durante evento em Brasília nesta quarta-feira (23) o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, afirmou que o prazo para que as empresas façam adesão ao Programa de Recuperação Fiscal (Refis) pode ser prorrogado até o fim do mês de outubro. Antes da mudança, o prazo final seria no dia 31 deste mês de agosto.

Leia também: Entregador de farmácia cai em "gemidão" do WhatsApp e é demitido

Após explicar as intenções em relação ao Refis, Meirelles afirmou que o governo segue em negociação com o Congresso para aprovar medida provisória para instituir um regimento de refinanciamento de dívidas das empresas junto ao Fisco. O ministro enfatizou que foi apresentada uma proposta aos parlamentares que fizeram uma contraproposta.

Mesmo com as medidas de renegociação, o ministro da Fazenda enfatizou que as empresas devem pagar os impostos e evitar o endividamento. “Estamos viabilizando que as empresas paguem suas dívidas e voltem a tomar crédito, crescer, mas por outro lado é importante deixar claro que não é um bom negocio deixar de pagar imposto e esperar um possível próximo Refis. Não se pode dar esse incentivo”, disse.

Sobre o programa de refinanciamento, Meirelles acredita ser difícil uma decisão final sobre o novo prazo ainda esta semana. “Depende de acordo. Existem diversas alternativas, desde uso de crédito fiscais, prazos mais longos e desconto e existe um ponto importante que é a diferenciação entre as empresas que têm pequenos débitos tributários e empresas maiores que têm uma dívida maior. É todo um processo de negociação de diversos setores. Não é muito produtivo anunciarmos que vai ser assim ou assado”, disse.

Leia também: IBGE: inflação varia 0,35% em agosto, impulsionada pela alta nos combustíveis

Raspadinha

Outra afirmação feita pelo ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, foi a intenção do governo de privatizar a loteria Instantânea da Caixa, a Lotex, conhecida como raspadinha. “Estamos em andamento, conversando com a Caixa”, disse o ministro. Sobre a proposta de privatização da Eletrobras, Meirelles disse que está avançando na definição do formato e assim que houver decisão será anunciada.

Crescimento econômico

Além das afirmações referentes ao Refis, Meirelles enfatizou durante sua participação em evento em Brasília que coma  aprovação das reformas que estão em tramitação, incluindo as macroeconômicas que já entraram em vigor, a economia brasileira poderá crescer entre 3,5% a 4% por ano em breve.

Leia também: Indústria da construção está menos pessimista, aponta CNI