Brasil Econômico

Brasil Econômico

Pesquisa realizada pela consultoria de gestão de negócios, A.T. Kearney, apontou que a instabilidade geopolítica é o principal desafio que os CEOs esperam enfrentar no ambiente externo. Cerca de 69% dos entrevistados pela pesquisa Views from C-Suite 2017 disseram que a política global é o que tem apresentado maior influencia para as empresas nos últimos anos.

Leia também: Neurotecnologia: Leitor de cérebro pode ameaçar liberdade cognitiva humana

undefined
shutterstock
Ciberataques também têm preocupado os CEOs, 85% deles acreditam em um crescimento de ataques nos próximos tempos

“Como resultado, mais de 90% consideram aplicar mudanças em suas estruturas internacionais e de supply chain devido ao atual ambiente político e econômico”, disse o estudo. Além do mais, quase todos os executivos disseram dar maior importância à implantação de técnicas de previsão e planejamento estratégico para gerenciar riscos e adaptar os negócios ao momento atual.

Os empresários também citaram as políticas populistas como um fator inquietante, já que essas medidas podem diminuir o volume de transações globais.  

“No Brasil, essa tendência se replica. Os CEOs tomam decisões buscando a reinserção do País na economia global e o aumento da produtividade. E, para isso, é necessário atingir a estabilidade política com andamento das reformas, simplificação tributária e mais investimentos em infraestrutura”, acrescenta afirma o sócio da consultoria, Esteban Bowles.

Leia também: Tecnologia de computação imita cérebro humano e apaga memórias

Ataque cibernético

Os ciberataques também têm preocupado os CEOs – 85% deles acreditam em um crescimento de ataques nos próximos tempos. Além disso, 43% dos entrevistados apontaram a proteção digital como o principal ponto para garantir a estabilidade empresarial.

“O destaque da tecnologia e do risco político nos resultados deste ano é impressionante. Tecnologia é vista como uma oportunidade chave para o crescimento dos negócios, bem como um desafio a ser enfrentado nos próximos meses”, disse Bowles ao que completou: “Ao mesmo tempo, executivos globais estão prestando mais atenção às ações governamentais e identificando riscos derivados das tensões geopolíticas e mudanças domésticas em políticas regulatórias e de impostos”.

Leia também: Consumidor 3.0: veja as características e descubra se você é um

Diante da pesquisa, o Global Business Policy Council pontuou algumas recomendações para ajudar a sua empresa a evoluir no atual contexto:

1.     Melhorar defesas e protocolos de cibersegurança

Melhorar defesas e protocolos de cibersegurança, ainda mais porque os ataques recentes demonstraram o aumento da efetividade das ações dos hackers;

2.     Monitorar de forma ativa os riscos políticos

Monitorar os riscos políticos , principalmente em países emergentes e desenvolvidos. “Executivos devem investir no monitoramento ativo de tais riscos e no desenvolvimento de relações governamentais favoráveis em mercados chave, para mitigar o surgimento de políticas negativas e apoiar o desenvolvimento de medidas favoráveis ao ambiente de negócios”, diz a empresa;

3.     Utilizar previsão estratégica para estar à frente das tendências

Os executivos capazes de identificar as tendências emergentes têm vantagem para sobreviver no ambiente global. Portanto, incorporar técnicas de previsão estratégica pode capacitar os executivos e na gestão empresarial.

4.     Avaliar a estratégia de globalização

Adotar estratégias de expansão e atuação no ambiente global é algo que depende das tensões geopolíticas e como a tendência dos movimentos antiglobalização devem afetar a presença internacional, supply chain e modelo de negócios de cada empresa.

    Leia tudo sobre: inovação

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários