Tamanho do texto

Mesmo os números sendo inferiores à média história, esse patamar não era atingido desde dezembro de 2013, quando a marca foi de 46,8 pontos; veja

Brasil Econômico

Nesta sexta-feira (18) foi divulgado o crescimento de dois pontos do Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI), que alcançou os 52,6 pontos em agosto. A Confederação Nacional da Indústria (CNI), responsável pela pesquisa, ressalta que o resultado ficou acima da linha divisória dos 50 pontos, ou seja, mais perto do otimismo, já que o marcador varia entre zero e 100.

Leia também: Lucro das empresas da Bovespa tem queda de 13,2% no segundo trimestre de 2017

Confiança: Como os empresários estão confiantes, a pesquisa aponta para uma tendência de produção e de investimento, já que existe a expectativa do aumento do consumo e da produção
shutterstock
Confiança: Como os empresários estão confiantes, a pesquisa aponta para uma tendência de produção e de investimento, já que existe a expectativa do aumento do consumo e da produção

Embora o resultado seja mais otimista do que pessimista no período analisado, a CNI relembra que a confiança do empresário permanece abaixo da média histórica da pesquisa que é de 54 pontos.

Leia também: Indústria paulista registra o melhor saldo de emprego acumulado desde 2013

Porte das empresas

O otimismo é maior nas grandes indústrias , que atingiu a marca dos 54,5 pontos em agosto, chegando a ficar até mesmo acima da média histórica. Já nas indústrias de médio e pequeno porte, o ICEI foi de 51,4 e 50 pontos, respectivamente. 

De acordo com o balanço, a melhora do indicador é resultado das avaliações dos empresários sobre as condições atuais e as expectativas futuras sobre o desempenho das empresas e da economia nacional. Já que o índice em relação aos próximos seis meses saltou de 53,8 pontos em julho, para 55,8 pontos. Enquanto que para as condições atuais a marca subiu de 44,2 pontos para 46,5.

O estudo avalia que mesmo os números sendo inferiores à média história, esse patamar não era atingido desde dezembro de 2013, quando a marca foi de 46,8 pontos.

Leia também: Saiba o que o varejo físico precisa fazer para sobreviver na era do e-commerce

Projeção

Como os empresários estão confiantes, a pesquisa aponta para uma tendência de produção e de investimento, já que existe a expectativa do aumento do consumo e da produção, ajudando na retomada econômica.

De acordo com a Confederação Nacional da Indústria, a pesquisa a respeito da confiança empresarial foi feita entre 1º e 10 de agosto com 3.014 empresas, sendo que 1.203 são de porte pequeno, 1.154 são médias e 657 são grandes.