Tamanho do texto

No segundo trimestre, o lucro acumulado de 309 empresas foi de R$ 24,4 bilhões, valor 13,2% menor do que o registrado no mesmo período de 2016

Brasil Econômico

Setor de bancos se destaca entre as 20 empresas mais lucrativas  listadas na Bovespa
shutterstock
Setor de bancos se destaca entre as 20 empresas mais lucrativas listadas na Bovespa

No segundo trimestre deste ano e em comparação ao mesmo período de 2016, a Bovespa apresentou um recuo de 13,2% no lucro das empresas listadas. De acordo com o levantamento da provedora de informações financeiras, Economatica, 12 dos 25 setores analisados decaíram em 2017.

Leia também: Indústria paulista registra o melhor saldo de emprego acumulado desde 2013

Vale lembrar que para a pesquisa foram consideradas todas as empresas listadas na Bovespa que apresentaram seus balanços à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) até 15 de agosto deste ano. 

A empresa explica que o levantamento foi feito sem os resultados da Eletrobrás, Vale SA e Oi, uma vez que “a variação do lucro dessas entidades no período de avaliação é muito elevada e distorce o estudo geral das empresas”. O balanço da JBS também não foi considerado, por não estar disponível na fonte primária CVM no período determinado.

Lucro acumulado e setores

No segundo trimestre, o lucro acumulado de 309 empresas foi de R$ 24,4 bilhões, valor 13,2% menor do que o registrado no mesmo período de 2016, quando as instituições contabilizaram R$ 28,1 bilhões.

O setor de bancos foi considerado o com maior lucro acumulado no período, com 23 instituições e cerca de R$ 16 bilhões - crescimento de R$ 851 milhões ou 5,6%. O segundo setor mais lucrativo é o de energia elétrica, com exclusão da Eletrobrás, com R$ 2,25 bilhões. No ano passado o setor registrou R$ 3,26 bilhões, uma queda de 31,1%.

Seis setores obtiveram prejuízos no segundo trimestre. O setor de construção, abrangente a 21 empresas, foi impactado negativamente em R$ 1,56 bilhão, enquanto o setor de transportes e serviços foi o segundo com o maior prejuízo nominal, com R$ 654,4 milhões.

Leia também: Investimento: Saia do comum e aposte nos títulos privados
Dos 25 setores analisados, 12 apresentaram recuo na lucratividade em relação ao mesmo período do ano passado. O setor de papel e celulose, com cinco empresas, é o com a queda mais acentuada no lucro, com R$ 3,34 bilhões. É importante lembrar que no igual período de 2016, o setor registrou lucro de R$ 2,94 bilhões ante o prejuízo de R$ 399,8 milhões deste ano.

Por outro lado, siderurgia foi apontado como o setor com maior crescimento nominal de lucratividade. Com 18 empresas, o lucro foi de R$ 107,4 milhões no segundo trimestre de 2017 frente ao prejuízo de R$ 792,3 milhões do mesmo ano. O resultado evidencia um crescimento nominal de R$ 899,86. Já o setor de bancos representa o segundo maior crescimento nominal de lucratividade, com R$ 851,51 milhões entre os últimos dois anos.

Considerando as três empresas excluídas na primeira avaliação, o conjunto das empresas da B3 registrou lucro de R$ 43,9 bilhões, contra R$ 21,50 bilhões do segundo trimestre de 2017, uma queda de R$ 22,42 bilhões ou 51,0%.

Lucro e prejuízo

O setor de bancos se destaca entre as 20 empresas mais lucrativas em 2017, com seis instituições. Entre elas, o Itaú Unibanco, com o maior lucro líquido do segundo trimestre, com R$ 6,01 bilhões. Se comparado ao mesmo período do ano passado, quando o lucro foi de R$ 5,51 bilhões , houve crescimento de 9%. Na sequência aparece o Bradesco, com R$ 3,91 bilhões.

Por outro lado, quedas foram observadas na lucratividade de oito empresas entre as mais lucrativas da Bovespa. A OI foi evidenciada com o maior prejuízo no segundo trimestre, com R$ 3,27 bilhões -  terceiro maior prejuízo da história entre empresas brasileiras de capital aberto .

Leia também: Atenção investidores: veja o que especialista diz sobre momento do dólar

    Leia tudo sobre: Bovespa