Tamanho do texto

Empresa procura um cientista capaz de encontrar um composto natural que crie a sensação de gosto de açúcar quando for usado em bebidas e alimentos

Coca-Cola já testou fórmula com stevia para reduzir o uso de açúcar, mas ainda não considera o ideal
Divulgação
Coca-Cola já testou fórmula com stevia para reduzir o uso de açúcar, mas ainda não considera o ideal

Todas as empresas do mundo, até mesmo as maiores do planeta, estão sujeitas às dificuldades. Para solucionar uma delas, a Coca-Cola lançou um concurso inusitado. A companhia promete pagar US$ 1 milhão (pouco mais de R$ 3 milhões) para quem solucionar seu maior problema: o uso do açúcar. "Esta tarefa hercúlea certamente é um dos maiores problemas enfrentados pela indústria de alimentos, que movimenta US$ 4,8 trilhões", diz a fabricante de bebidas.

Leia também: Rede de farmácias é condenada por limitar acesso de funcionários ao banheiro

De acordo com a empresa, este concurso deve ser visto como um "apelo à ação para pesquisadores e cientistas para encontrar um composto de origem natural, seguro e com baixa ou nenhuma caloria, que crie a sensação de gosto de açúcar quando usado em bebidas e alimentos". Se algum candidato conseguir atender às necessidades da Coca-Cola, receberá o pagamento já no mês de outubro.

A empresa, no entanto, coloca algumas restrições aos produtos. A solução não pode ser "a base de estévia ou fruta-dos-monges e nem ser extraída de alguma espécie de planta protegida", dizem as regras do concurso.

Leia também: Confiança do consumidor registra alta em julho, mas segue abaixo da média

Apesar de parecer bastante dinheiro, alguns consideram muito baixo o valor oferecido pela empresa. Em entrevista ao site americano "Quartz", o analista de bebidas da multinacional financeira Rabobank, Ross Colbert, disse que "quem encontrar a solução pode ganhar mais dinheiro que isso".

"Este concurso mostra o tamanho da pressão que é encontrar um substituto ou uma adequação. É algo como a busca pelo Santo Graal, porque criou uma adversidade aos refrigerantes gaseificados", afirma o especialista. 

O mercado

Nos últimos anos, o mercado de refrigerantes passou por mudanças significativas nos Estados Unidos. Segundo pesquisas, hoje a população consome 19% menos refrigerante do que há 15 anos. Isso acontece, principalmente, por preocupações com a saúde – o que justifica a busca da marca por algum substituto ao açúcar. 

Leia também: Tecnologia de computação imita cérebro humano e apaga memórias

Um dos problemas que a Coca-Cola enfrenta é que muitos consumidores passaram a substituir os refrigerantes por bebidas mais saudáveis, com chás, por exemplo. Nos EUA, há movimentos que solicitam uma elevação de impostos sobre os produtos em diversas cidades do País.