Tamanho do texto

Diante da valorização do petróleo, a Petrobras acresceu, após abrir o pregão em queda. Por volta das 11h30, a Bovespa subia 0,74%, aos 67.858 pontos

Na sexta-feira (11), a Bovespa subiu 0,55%, aos 67.358 pontos
iStock
Na sexta-feira (11), a Bovespa subiu 0,55%, aos 67.358 pontos

Nesta segunda-feira (14), o Índice da Bovespa (Ibovespa) abriu a semana em alta, influenciado pela diminuição das tensões geopolíticas internacionais , o que acalmou os negócios no País, que ainda aguarda a decisão do governo em relação à meta fiscal, originalmente fixada em R$ 139 bilhões para este ano e em R$ 129 bilhões para 2018.

Leia também: Governo deve anunciar hoje mudança da meta fiscal; valor pode ser de R$ 159 Bi

Diante da valorização do petróleo, a Petrobras acresceu, depois de abrir o pregão em queda. O mesmo aconteceu com os papéis da Vale. Por volta das 11h30, a Bovespa subia 0,74%, aos 67.858 pontos.  No mesmo horário, as ações da Vale, Petrobras e Itaú Unibanco, contribuíam significantemente para o bom desempenho do índice. Os maiores acréscimos foram observados nas ações da Copel, com alta superior a 7%, EDP Energias, com mais de 3%, JBS, acima de 2% e Natura, com 2%.  

Outros resultados

Na sexta-feira (11), em meio a uma sessão de noticiário corporativo com a divulgação dos balanços, o Ibovespa apresentou alta de 0,55%. Com os conflitos internacionais sinalizando cautela aos investidores, o índice atingiu os 67.358 pontos, com acréscimo semanal de 0,69%.

Também na sexta-feira, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, alertou à Coreia do Norte, com a afirmação de que as armas norte-americanas estão prontas e carregadas. Para  Pyongyang, Trump está conduzindo a península coreana a uma guerra nuclear.

Leia também: Nova recorde: Bitcoin volta a se superar e ultrapassa a marca dos US$ 4 mil

Em contrapartida, os preços aos consumidores nos Estados Unidos tiveram um aumento menor do que o esperado no mês de julho. Com o baixo acréscimo, houve uma sensação de alívio nos negócios, uma vez que ressaltaram a visão de que o banco central norte-americano, Federal Reserve, seguirá com um ritmo contínuo na elevação de juros.

Em relação ao cenário local, houve uma intensa preocupação por conta da situação fiscal . Na véspera do comunicado dos Ministérios da Fazenda e do Planejamento, o Índice da Bovespa registrou um recuo de 1,07%, aos 66.945 pontos. Os destaques negativos ficaram por conta das ações da Cemig, Eletrobras e Ultrapar, com decréscimos de aproximadamente 3%.

Leia também: Splinternet: Será que o futuro da web será controlado pelos governos?

    Leia tudo sobre: Bovespa