Tamanho do texto

O Banco Central afirmou ainda que o resultado "negativo" vem desde o mês de junho, quando US$ 4,3 bilhões já haviam sido retirados da economia

Saída de dólares da economia brasileira surpreendeu o Banco Central. A evasão foi influenciada pela crise política
shutterstock
Saída de dólares da economia brasileira surpreendeu o Banco Central. A evasão foi influenciada pela crise política


Dados do Banco Central (BC) divulgados nesta quarta-feira (2) apontam que a saída de dólares do Brasil superou a entrada em US$ 2,63 bilhões, dados esses apurados até o dia 28 de julho. O balanço, quando analisa apenas os valores da última semana do mês de julho apurou que foram enviados ao País US$ 251 milhões.

Leia também: Em paralelo à votação na Câmara, dólar opera em alta nesta quarta-feira

O Banco Central afirmou ainda que o resultado "negativo" vem desde o mês de junho, quando US$ 4,3 bilhões já haviam sido retirados da economia brasileira. Ainda falta um dia útil do mês de julho (31) para fechar o resultado completo do mês, porém isso só será divulgado na quarta-feira (9).

A explicação para essa evasão é a crise política que o País vive no momento, após o presidente da República, Michel Temer , ser denunciado por corrupção pelo empresário – dono da JBS – Joesley Batista.

No acumulado deste ano, até a última sexta-feira (28), porém, o ingresso de dólares supera as retiradas em US$ 4,84 bilhões. No mesmo período do ano passado, US$ 9,05 bilhões haviam sido retirados do Brasil.

Leia também: Empresários aumentam faturamento com venda de cerveja artesanal da África do Sul

Outros dados

Foi divulgado também nesta quarta-feira (2) pelo BC que os preços das commodities – que são os produtos primários com cotação internacional –, apresentaram queda no País no mês passado. Segundo o Índice de Commodities Brasil (IC-Br) os preços das commodities tiveram retração na ordem de 0,58% no período analisado (julho), ao se comparar com o mês anterior (Junho).  Em 12 meses encerrados em julho, o índice registrou alta de 0,54% e no acumulado do ano, retração de 4,51%.

Foi apurado pelo IC-Br que no mês de julho o segmento de energia, composto por petróleo, gás natural e carvão, apresentou variação positiva de 0,67%. Já o de metais – alumínio, minério de ferro, cobre, estanho, zinco, chumbo e níquel, teve alta de 1,86%.

O segmento agropecuário – compostos pelas commodities de carne de boi, algodão, óleo de soja, trigo, açúcar, milho, café, arroz e carne de porco,  registrou queda de 1,40%.

O índice internacional de preços de commodities CRB, calculado pelo Commodity Research Bureau, registrou queda de 1,85% em julho e alta de 5,58%, em 12 meses, segundo balanço do Banco Central.

 *Com informações da Agência Brasil

Leia também: Vaga dos sonhos? Empresa contrata profissional para viajar e falar de finanças