Tamanho do texto

Mudança da bandeira tarifária de energia elétrica de verde para amarela sobre a inflação de julho também foi discutida na última reunião, confira

Brasil Econômico

Nesta terça-feira (1º), o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC) divulgou a ata da última reunião, na qual foi decidido que o corte na taxa básica de juros, a Selic , terá o ritmo de contenção mantido. De acordo com o documento, o Comitê reduziu a taxa Selic em um ponto percentual, ou seja, para 9,25% ao ano.

Leia também: Produção de petróleo do pré-sal supera a do pós-sal pela primeira vez

Copom reduziu a Selic em um ponto percentual, ou seja, para 9,25% ao ano
Marcello Casal Jr/Agência Brasil
Copom reduziu a Selic em um ponto percentual, ou seja, para 9,25% ao ano

A ata do Copom ainda aponta que os ajustes do ritmo de corte da Selic dependerão da evolução da economia nacional, do balanço de riscos, além das reavaliações da estimativa de extensão do ciclo e das projeções e expectativas da inflação.

A diretoria do Banco Central também avaliou no encontro a importância de uma comunicação mais ativa do Copom em relação aos próximos passos, uma vez que a atitude resultará em melhoria na racionalidade econômica, que é o guia das decisões da instituição.

Leia também: Com alta de tributos sobre combustíveis, estimativa para inflação sobe para 3,4%

Tributação

No documento consta que foi analisado as consequências sobre a inflação do aumento da alíquota do Programa de Integração Social (PIS) e da Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins) sobre os combustíveis.

A projeção é que a inflação suba 0,45 ponto percentual nos meses de julho e agosto deste ano, sendo que a maior concentração do impacto é agora, no mês de agosto. O Copom ainda reitera que parte desse impacto já estava contemplado nas projeções condicionais do próprio Comitê de Política Monetária.

A mudança da bandeira tarifária de energia elétrica de verde para amarela sobre a inflação de julho também foi discutida, e tem estimativa de impacto de 0,15 ponto percentual.

Em conclusão, todos os membros do Copom remataram que essas oscilações pontuais – principalmente dos reajustes de preços de combustíveis e de energia elétrica – não têm implicações relevantes para a condução da política monetária, que é a definição sobre a taxa Selic.

Leia também: Receitas extras podem compensar redução de impostos sobre etanol, diz Meirelles

* Com informações da Agência Brasil