Tamanho do texto

O pequeno drone flutuante é capaz de tirar fotos e gravar vídeos, permitindo que os astronautas ganhem tempo para executar as tarefas mais importantes

No futuro, Int-Ball poderá ajudar os astronautas até mesmo a fazerem reparos na Estação Espacial
Reprodução
No futuro, Int-Ball poderá ajudar os astronautas até mesmo a fazerem reparos na Estação Espacial

Você deve se lembrar da esfera negra usada como um "robô de interrogação flutuante" nos filmes da saga Star Wars. Assustadora, não é mesmo? Pois bem. Parece que os cientistas da Agência Japonesa de Exploração Espacial (Jaxa, na sigla em inglês) projetaram um objeto que é completamente o oposto disso para ajudar os astronautas. E você vai querer levar um para a sua casa.

Leia também: NASA convida usuários a participarem de lançamento de foguete

Chamado de Int-Ball, este pequeno e adorável drone de câmera parece com algo que a Pixar poderia ter inventado, mas é totalmente real e agora se tornou o companheiro de  astronautas a bordo da Estação Espacial Internacional (ISS, também na sigla em inglês). O robozinho ajuda a tirar fotos e gravar vídeos, otimizando o valioso tempo do pesquisador.

A Int-Ball foi entregue à ISS em uma expedição de carga da SpaceX no mês passado e agora está passando por testes iniciais. De acordo com as informações obtidas até agora, as verificações estão indo muito bem. A Jaxa divulgou recentemente as primeiras imagens de teste capturadas pelo seu pequeno drone flutuante.

Segundo a Jaxa, a Int-Ball é capaz de se mover de forma autônoma no espaço, mas também pode ser controlado remotamente por controladores de voo e pesquisadores na Terra, que podem retransmitir suas filmagens em tempo real de volta à ISS para revisão e acompanhamento.

Leia também: IBM cria sistema de criptografia que protege empresas de ataques cibernético

O robô mede apenas 15 centímetros de diâmetro e pesa 1 kg. A maior parte da fabricação se deu por meio de impressão 3D. Ao longo da superfície da esfera, 12 ventiladores estão posicionados para permitir que o drone se movimente, enquanto uma série de "marcadores de alvo 3D" foram colocados nas paredes internas da ISS para ajudar o drone a se orientar, permitindo a navegação de um lugar para outro.

A Jaxa diz que há astronautas com uma câmera nas mãos em até 10% do horário de trabalho a bordo da ISS. Dessa forma, ao designar a tarefa de registrar imagens para um drone, os pesquisadores poderiam aumentar o foco na realização de experimentos e outras tarefas mais importantes. A Int-Ball também está servindo para testes sobre a capacidade de operação dos drones flutuantes em um ambiente de microgravidade.

Leia também: Entenda como a China está acabando com pagamentos em dinheiro vivo

Projeções futuras

É claro que o registro de imagens é importante, mas, definitivamente, este é apenas o ponto de partida. No futuro, é concebível que pequenos drones autônomos possam realizar outros tipos de trabalhos, tanto dentro como fora da ISS, ajudando astronautas a buscar ou operar equipamentos, verificar os suprimentos ou até mesmo fazer reparos na própria estação.

*Com tradução do Futurism

    Leia tudo sobre: Inovação
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.