Tamanho do texto

Nessa última semana, o trabalhador que não conseguiu sacar pelo mês de aniversário, pode se dirigir a qualquer uma das agências da Caixa Econômica

Brasil Econômico

Até a próxima segunda-feira (31) os trabalhadores podem sacar o dinheiro que está parado nas contas inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). O saque do benefício do FGTS inativo foi autorizado pelo governo em dezembro do ano passado e nestes últimos dias, quem perdeu o prazo –  período do saque baseado na data de aniversário – pode fazer o resgate do valor em qualquer uma das agências da Caixa Econômica.

Leia também: Confira 10 concursos públicos que encerram suas inscrições no mês de agosto

Os saques do FGTS inativo começaram no dia 10 de março e terminam na segunda-feira (31) de julho
Fábio Rodrigues Pozzebom/Arquivo/Agência Brasil
Os saques do FGTS inativo começaram no dia 10 de março e terminam na segunda-feira (31) de julho


Foi informado nesta terça-feira (25) pela Caixa que 5 milhões de trabalhadores brasileiros têm direito ao resgate do FGTS inativo, porém ainda não se dirigiram a uma das agências da instituição para ter acesso ao benefício. Vale ressaltar que, passado o dia 31, o trabalhador não consegue mais fazer o resgate, apenas quando for utilizar o saldo para financiamento imobiliário, para o tratamento de doenças graves, e outras possibilidades.

Ainda conforme dados da instituição financeira que administra esse recurso, de março para cá já foram pagos mais de R$ 42,8 bilhões. O montante beneficiou 25,3 milhões de trabalhadores. O valor, pago até o dia 19 de julho, corresponde a 98,33% do total inicialmente disponível para saque, que era de R$ 43,6 bilhões.  Cerca de 88,73% dos trabalhadores brasileiros que trabalhadores, beneficiados pela Lei 13.446/2007, já realizaram o resgate em contas inativas.

Leia também: Confiança do consumidor registra queda no mês de julho, aponta FGV

Sem prorrogação

Ao que tudo indica, não haverá prorrogação do prazo para o saque do benefício . O ministro do trabalho, Ronaldo Nogueira, afirmou que passado o dia 31 de julho, o trabalhador que têm direito ao benefício não procurar uma das agências da Caixa Econômica Federal , só poderá utilizar o valor dentro dos critérios estabelecidos em lei. "O calendário para a retirada facilitada foi uma medida excepcional, com o objetivo de promover um alívio financeiro aos trabalhadores e o aquecimento da economia. Quem perder o prazo, só poderá realizar saques do FGTS nas situações previstas na legislação", disse ele em nota.

Nesse caso, terá acesso ao valor que está retido na Caixa, quem for demitido sem justa causa, quem for se aposentar, quando o trabalhador for portador de doença grave, quando a conta não recebe depósito por três anos ininterruptos, para aquisição de imóvel, para liquidação ou amortização ou pagamento de parte das prestações de financiamento habitacional concedido no âmbito do Sistema Financeiro Habitacional.

Recomendação

 Para sacar o FGTS inativo, o trabalhador precisa apresentar a carteira de trabalho. O documento só é obrigatório se a retirada for de mais de R$ 10 mil de uma das contas. Porém, se houver alguma falha no registro das suas informações, ele poderá ajudar a corrigir os dados do sistema. Tem direito ao saque quem pediu demissão e não teve acesso ao benefício até o dia 31 de dezembro de 2015. 

Leia também: Governo federal planeja PDV e opção de jornada reduzida para servidores públicos

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.