Tamanho do texto

Falta de noção sobre quanto realmente ganham faz com que as pessoas acabem entrando em dívidas; saiba o que fazer para evitar problemas

Uma boa dica pra quem precisa economizar dinheiro é deixar o cartão de crédito e sair apenas com o que vai gastar
shutterstock
Uma boa dica pra quem precisa economizar dinheiro é deixar o cartão de crédito e sair apenas com o que vai gastar

Se você está endividado, é fato que existe a necessidade de tomar determinadas providências. Ter plena consciência de quanto dinheiro ganha e fazer as contas de tudo que realmente entra na conta corrente, por exemplo, são medidas essenciais. Com esses valores em mãos, o próximo passo é pensar nos custos fixos, como aluguel e contas de serviços, para planejar entradas e saídas e, dessa forma, entender quanto resta por mês e só a partir daí planejar gastos mais supérfluos e uma parte para investimentos.

Leia também: Seis dicas para os jovens durante uma entrevista de emprego

Apesar de parecer algo simples, muitas pessoas não conseguem cumprir esta sequência. De acordo com Marcelo Ciampolini, CEO da Lendico, plataforma online de crédito pessoal 40% das pessoas que pedem empréstimos na empresa majoram sua renda mensal em 40%, ou seja, acham que ganham mais dinheiro do que realmente recebem.

Isso acontece por muitos motivos diferentes. Um erro muito comum costuma acontecer com os autônomos. Em alguns casos, eles confundem faturamento com o que realmente retiram da empresa. Existem também os assalariados que incorporam na renda entradas eventuais, como o adicional das férias.

A falta de noção sobre quanto realmente ganham faz com que as pessoas acabem entrando em dívidas. Ainda segundo o especialista, a grande maioria fica no vermelho simplesmente por desconhecimento. Para quem já está devendo, principalmente para pessoas que estão com débitos no cartão de crédito e cheque especial, existem algumas dicas que podem ajudar. Confira:

1)  Tenha certeza de quanto você deve e o tempo de cada uma dessas dívidas . Se for possível, pesquise o quanto será necessário para quitar a dívida de uma vez.

2) Desafie-se a poupar para pagar as dívidas. Por exemplo, separe 15% da renda para este fim. Quando as dívidas terminarem, a disciplina servirá para guardar alguma receita.

Leia também: Confira as seis principais vantagens de usar o bitcoin em suas compras

3)  Manter o controle é fundamental. Não faça novas dívidas e priorize as mais importantes.

4)  Faça negociações. Procure seus credores e tente chegar a um acordo com descontos em juros ou um melhor parcelamento, por exemplo.

5)  Deixar o cartão de crédito em casa e sair apenas com o que pretende gastar naquele dia é uma boa opção para os menos controlados.

Em casos extremos, você também pode trocar dívidas caras por outras mais baratas. Some tudo o que deve e faça um empréstimo pessoal com juros muito menores que os praticados pelos cartões de crédito, por exemplo.

Se você estiver com restrição de crédito, tente procurar a empresa para negociar. “No cenário atual de crise muitas empresas estão com boas ofertas de negociação de débitos para reaver o dinheiro 'perdido'”, afirma Ciampolini.

Leia também: Cinco dicas para acabar com as dívidas e organizar as finanças pessoais

Ainda de acordo com o especialista, outra coisa que não faz sentido é ter dívidas caras e usar o dinheiro para investimentos. “Antes de poupar a pessoa precisa quitar suas dívidas. Isso porque a pessoa possivelmente pagará mais juros com a dívida do que receberá em juros do investimento ”, aponta.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.