Tamanho do texto

Após incertezas quando as perspectivas e até a possibilidade de uma revisão para baixo, equipe econômica mantém estimativa de alta de 0,5% este ano

Relatório do Ministério do Planejamento divulgado nesta sexta-feira (21) pelo governo manteve a previsão do PIB em 0,5% este ano
shutterstock
Relatório do Ministério do Planejamento divulgado nesta sexta-feira (21) pelo governo manteve a previsão do PIB em 0,5% este ano


Relatório de receitas e despesas do orçamento de 2017, divulgada nesta sexta-feira (21) pelo Ministério do Planejamento, sinalizou que o governo federal optou por manter a previsão do crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) em 0,5%.

Leia também: CPF permitirá o uso do nome social; veja como atualizar o documento

Anteriormente, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, chegou a cogitar uma revisão para baixo do indicador, entretanto no relatório com dados referentes ao terceiro bimestre, a previsão do PIB manteve-se a mesma que a afirmada no começo deste ano.

O governo mantém otimismo mesmo com todo escândalo político envolvendo a atual gestão de Michel Temer. As incertezas quanto o rumo do governo faz com que o mercado financeiro não tenha a mesma perspectiva de crescimento. No Boletim Focus da última segunda-feira (17), estudo feito pelo Banco Central com 100 instituições, apontou que o mercado espera alta tímida do PIB, na ordem de 0,34% este ano. Essa perspectiva dos economistas consultados foi revista para baixo algumas vezes ao longo deste ano.

Relatório

O relatório do Ministério do Planejamento informou que houve recuo de R$ 5,8 bilhões na previsão para as receitas totais de 2017. Segundo a equipe econômica, só o crescimento menor do PIB devem deixar as receitas R$ 11,97 bilhões menores este ano.

Foi reduzida também a perspectiva para a arrecadação extra, que é conseguida por meio do programa de repatriação, que permite os contribuintes regularizem a situação de imóveis e demais bens não declarados fora do Brasil. O relatório apontou retração de R$ 9,84 bilhões nessa renda extra ao governo. A regularização, que é feita pela Receita Federal, ajuda nas contas públicas e aumenta a arrecadação de impostos. 

Leia tamém: Prazo de adesão a programas para parcelamentos de dívidas começa nesta quinta

Já quanta as concessões e permissões, a receita prevista pelo governo caiu em R$ 2,26 bilhões. Já a previsão com dividendos, caiu R$ 2,99 bilhões. O Ministério do Planejamento informou que, do lado das despesas totais, houve um aumento na estimativa para este ano em R$ 4,6 bilhões.

Dentro desse valor, o governo estimou R$ 6,3 bilhões a mais em gastos com o Programa de Financiamento Estudantil – Fies, que passou a ser incluída no resultado primário, além de uma alta estimada de R$ 1,4 bilhão em gastos com pessoal, entre outros. 

O governo manteve a previsão do PIB para este ano, mas é preciso lembrar que o presidente da República Michel Temer pode ser investigado por corrupação passiva, e isso refletirá diretamento do resultado do PIB brasileiro. 

Leia também: Medicamentos: Proteste lista cinco dicas para consumidor economizar na compra

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.