Tamanho do texto

Montante, que será atingido nesta sexta-feira (21), às 10h30 corresponde ao total de impostos, taxas e contribuições pagos desde o primeiro dia do ano

Um dia após anúncio do aumento do imposto sobre combustíveis, Impostômetro chegará a R$ 1,2 trilhão
Rafael Neddermeyer/ Fotos Públicas
Um dia após anúncio do aumento do imposto sobre combustíveis, Impostômetro chegará a R$ 1,2 trilhão

Em meio ao aumento do imposto sobre combustíveis, o Impostômetro da Associação Comercial de São Paulo (ACSP) chega à marca de R$ 1,2 trilhão nesta sexta-feira (21), às 10h30. O valor será alcançado 20 dias antes do que no ano passado, que ocorreu em 10 de agosto, o que indica aumento da carga tributária em 2017.

Leia também: Bovespa opera em baixa nesta quinta-feira, com recuo de 0,22%

Este montante atingido pelo Impostômetro corresponde ao total de impostos, taxas e contribuições pagos pelos brasileiros desde o primeiro dia do ano. Chega na esteira da divulgação (pela Receita Federal) de crescimento da arrecadação federal no primeiro semestre e também em meio ao anúncio do governo sobre o aumento da alíquota do PIS e da Cofins incidentes sobre os combustíveis.

“O governo tem que repensar as medidas em razão do aumento arrecadatório (quando olhamos para 2016) e dos sinais de retomada da economia. Assim, agora é um momento totalmente inoportuno para pensar em elevar tributos . O governo precisa fazer um controle eficiente dos gastos públicos e pensar em primeiro lugar na superação da população frente aos problemas financeiros trazidos pela recessão”, diz Alencar Burti, presidente da ACSP e da Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (Facesp).

Leia também: Prévia da inflação oficial fecha negativa em 0,18%; a menor desde 1998 no País

Fazendo uma análise microeconômica, ele alerta que a elevação de preço dos combustíveis desencadeia o encarecimento do transporte de mercadorias e de passageiros. E que dificilmente o comerciante não repassará isso para o consumidor, tornando mais lenta a recuperação da economia.

O especialista também conclui dizendo que a intensificação da queda dos juros ― e não novos aumentos tributários ― promoveria o estímulo ao consumo, e também a retomada da economia e da arrecadação tributária.

Leia também: CPF permitirá o uso do nome social; veja como atualizar o documento

Aumento no imposto

A elevação das alíquotas do PIS/Cofins sobre combustíveis foi anunciada pelo governo nesta quinta-feira (20), um dia antes de o Impostômetro atingir R$ 1,2 trilhão. Além disso, também será feito um corte de R$ 5,9 bilhões de despesas que estavam previstas no Orçamento deste ano. Segundo nota enviada à imprensa pelo Ministério da Fazenda, o aumento do imposto "é absolutamente necessário tendo em vista a preservação do ajuste fiscal e a manutenção da trajetória de recuperação da economia".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.