Tamanho do texto

Para o ministro da Fazenda, reforma ajudará a melhorar a competitividade; líder da equipe econômica ainda destacou resultados do setor de serviços

Brasil Econômico

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, celebrou nesta quinta-feira (13) a assinatura da nova legislação trabalhista. Segundo o líder da equipe econômica do governo do presidente Michel Temer, a reforma irá revolucionar a economia e ajudará a melhorar a competitividade. Na cerimônia, ele afirmou que as mudanças contribuirão para tirar o País da recessão enquanto outras reformas são discutidas.

Leia também: Mercado financeiro estima deficit nas contas públicas de R$ 145 bilhões este ano

"A legislação não pode engessar a sociedade. Permite regular para que a sociedade continue progredindo e crescendo. O Brasil está fazendo mudanças fundamentais na forma de trabalhar", disse Henrique Meirelles . "Estamos concluindo não só ajustes fiscais, que são essenciais para a economia, mas reformando para que possamos trabalhar de maneira mais produtiva e gerar mais empregos e mais renda para os trabalhadores brasileiros".

Para Henrique Meirelles, aprovação da reforma trabalhista irá revolucionar a economia brasileira
Beto Barata/PR - 13.7.17
Para Henrique Meirelles, aprovação da reforma trabalhista irá revolucionar a economia brasileira

Leia também: Retomada da exportação de carnes será tema de reunião de Blairo Maggi nos EUA

O ministro da Fazenda afirmou que o governo está se esforçando para aprovar a reforma da Previdência e está comprometido com o ajuste fiscal e as medidas de desburocratização. De acordo com Meirelles, a produtividade do País aumentará com as reformas estruturais. "Temos reformas em todas as áreas: desburocratização, mercado de crédito, forma de pagar impostos. Mudanças que afetam o dia a dia do cidadão e da economia", disse.

Meirelles ainda citou o crescimento de 1,4% da receita do setor de serviços no mês de maio em relação a abril para mostrar que a economia brasileira está se recuperando. "Entramos numa recessão profunda, por problemas estruturais. Agora estamos saindo e vamos construir um país com taxa de crescimento mais elevada", acrescentou.

Leia também: J&F anuncia a venda de sua participação na Alpargatas por R$ 3,5 bilhões

"O setor de serviços cresceu acima da inflação. Foi disseminado pelos diversos setores da economia. Tudo isso acontece na economia brasileira porque existe mais confiança em função da agenda de reformas. Falávamos há um ano de agenda de reforma, que era encarada com ceticismo lá fora. Mas o teto [de gastos] foi aprovado. A reforma trabalhista foi encarada também [com ceticismo], mas o fato é que ela foi aprovada”, concluiu Henrique Meirelles.

* Com informações da Agência Brasil.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.