Tamanho do texto

A estimativa do IBGE é que a produção total de cereais, leguminosas e oleaginosas deveatingir 240,3 milhões de toneladas ao longo deste ano

Brasil Econômico

Projeção do IBGE é que a safra brasileira tenha recorde neste ano. Estimativa está baseada no crescimento mensa da produção agrícola
shutterstock
Projeção do IBGE é que a safra brasileira tenha recorde neste ano. Estimativa está baseada no crescimento mensa da produção agrícola


Pesquisa divulgada nesta terça-feira (11) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), sinalizou que a safra de grão será recorde este ano no País. A estimativa é que segam produzidas 240,3 milhões de toneladas de cereais, leguminosas e oleaginosas, conforme números do Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA) de junho.

Leia também: Para integrar a OCDE, Brasil passa por avaliação em produção agrícola

Segundo a apuração do IBGE , o resultado além de ser recorde para o mês de junho, foi 30,1% maior que a safra do ano passado (2016). O comparativo com o mês de maio, foram produzidas 1,7 milhão de toneladas, o que representa alta de 0,7% no período analisado. Também as projeções em relação à área plantada cresceram 117,4 mil hectares, o equivalente a 0,2% em relação ao mês anterior.

Carlos Alfredo lembrou que as exportações de milho acumuladas no primeiro semestre de 2017 recuaram 72,1% em relação ao mesmo período do ano anterior. Os dados são do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio. Mas, segundo ele, o recorde da segunda safra de 2017 poderá reverter esse quadro, derrubando os preços internos e aumentando as exportações de milho no segundo semestre.

Outros dados

Foi informado que a projeção da área a ser colhida teve alta de 7%, ao atingir 61 milhões de hectares . No ano passado, foram colhidos 57,1 milhões de hectares. “São esperados recordes na produção da soja e do milho. As previsões indicam que a safra da soja atinja 114,8 milhões de toneladas, resultado 19,5% maior do que a do ano passado, enquanto a do milho deverá atingir 97,7 milhões de toneladas, crescimento de 53,5%”, disso o Instituto.

Quando divididos por culturas, houve crescimento de 2,3% na área a ser colhida de soja, de 17,7% de milho e 3,6% de arroz. A projeção para a produção de milho chega a 97,7 milhões de toneladas. Somados – milho, arroz e soja – representam 93,5% da estimativa da produção total da safra de 2017 e 87,8% da área a ser colhida em 12 meses.

Leia também: Total de desempregados chega a 14,2 milhões e bate recorde histórico, diz IBGE

Avaliação

Segundo o gerente do Levantamento Sistemático da Produção Agrícola, Carlos Alfredo, essa é a primeira vez que a safra brasileira ultrapassou as 240 milhões de toneladas.  Ele lembrou o fato de que a safra do ano passado foi prejudicada pelas condições climáticas adversas e acabou ficando 11,9% menor do que a de 2015.

“O milho e a soja foram os principais responsáveis por esse novo patamar. No caso do milho, a segunda safra puxou a produção para cima e deve ser responsável pela maior parte da safra deste cereal em 2017. Em junho, estimamos que essa participação seja de 68,4%”, explicou Alfredo.

Outras culturas

Foi informado ainda pelo IBGE, que nso meses de maio e junho, as culturas com mais variação foram o amendoim 1ª safra (26,2%), a cebola (5,7%), a batata-inglesa 2ª safra (4,5%), e a batata-inglesa 3ª safra (2,3%). Na outra ponta, caiu a previsão para o milho 1ª safra (-0,4%), o feijão 3ª safra (-1,4%), o feijão 2ª safra (-3,9%) e o amendoim 2ª safra (-54,3%).

Leia também: Anac reajusta tarifas de embarque dos aeroportos de Viracopos e Cumbica

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.