Tamanho do texto

Em junho, moeda virtual teve recorde histórico, com cotação aproximado de US$ 3 mil; para analista, novo recorde será registrado nos próximos meses

Brasil Econômico

Enquanto o ano impressionante do bitcoin continua, a chefe de estratégias da Goldman Sachs, Sheba Jafafi, prevê uma quinta onda de alta para a moeda virtual . Ela avalia que após uma queda temporária registrada recentemente, a moeda poderá registrar uma alta recorde, com valor próximo dos US$ 4 mil (aproximadamente R$ 13 mil).

Leia também: Vida longa e próspera: cientistas se inspiram em Tricorder da série Star Trek

Poucos dias depois da metade de 2017, já é possível afirmar que o bitcoin está tendo um ótimo ano. O valor da moeda criptografada subiu perto de US$ 1 mil (ou R$ 3,2 mil) em janeiro e depois novamente em fevereiro. Em março, a cotação da moeda virtual ultrapassou a do ouro e no dia 10 de maio, a valorização alcançou uma alta recorde, com valor acima de US$ 1,7 mil (ou R$ 5,5 mil) por unidade.

Para especialista, bitcoin ainda está no meio de uma
shutterstock
Para especialista, bitcoin ainda está no meio de uma ""quarta onda corretiva", mas deverá chegar aos US$ 3,9 mil

Leia também: Entenda por que os trabalhadores não recebem aumento de salário no Japão

Em junho, a moeda obteve um novo recorde, com valor aproximado em US$ 3 mil (R$ 9,8 mil) antes de fechar o mês em cerca de US$ 2,5 mil (R$ 8,2 mil). Em resumo, o ganho da moeda no primeiro semestre deste ano ficou em 168%, o que levou diversos comentaristas, como o empresário Mark Cuban e o chefe global de estratégias de investimento na Charles Schwab, Jeffrey Kleintop, a avaliarem que a moeda criptografada estaria em uma bolha.

O analista mais experiente para avaliar o futuro do bitcoin é a chefe de estratégias da Goldman Sachs, Sheba Jafari. A especialista enviou uma nota aos seus clientes no domingo, 2 de julho, avisando que embora o valor da moeda possa cair, é mais provável que ele volte a apresentar elevação nos próximos meses.

Quinta onda

Segundo a nota de Jafari publicada posteriormente pelo site "Zero Hedge", a moeda criptografa ainda está no meio de uma "quarta onda corretiva", em que sua cotação pode cair algo em torno de US$ 1.857 (R$ 5,9 mil) – um recuo aproximado de 25%.

Leia também: Saiba como a inteligência artificial está simplificando o trabalho em hospitais

De acordo com Jafari, os investidores não precisam se preocupar com a queda, já que ela pode atingir uma alta recorde durante a quinta onda, e chegar aos possíveis US$ 3.915 (R$ 12,8 mil). Ainda que o valor do bitcoin não ultrapasse a marca dos US$ 4 mil (R$ 13 mil), o ano de 2017 continuará sendo um marco histórico para a moeda virtual.

* Com tradução de futurism.com

    Leia tudo sobre: Inovação
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.