Tamanho do texto

Governo dos Estados Unidos suspendeu a importação de carne in-natura de diversos frigoríficos brasileiros; governo luta para reverter a situação; veja

Brasil Econômico

Após os Estados Unidos suspender a importação de carne bovina in-natura do Brasil na quinta-feira (22), o ministro da Agricultura, Blairo Maggi, afirmou que prestará todos os esclarecimentos a autoridade norte-americana para reverter à proibição da entrada de produtos brasileiros nos EUA.

Leia também: Caixa inicia segunda rodada do Feirão da Casa Própria; confira os locais

Após suspensão de importação aos Estados Unidos, governo brasileiro começa a tomar medidas para reverter a nova situação envolvendo carne bovina
shutterstock
Após suspensão de importação aos Estados Unidos, governo brasileiro começa a tomar medidas para reverter a nova situação envolvendo carne bovina


 A suspensão da compra de carne bovina do Brasil foi anunciada na quinta-feira (22) pelo secretário de Agricultura dos Estados Unidos, Sonny Perdue, em comunicado. O documento afirmou que as importações estão suspensas até que o Ministério da Agricultura brasileiro tome as devidas medidas para se adequar ao padrão de qualidade americano.

Desde março, o Serviço de Inspeção e Segurança de Alimentos dos EUA, responsável por fiscalizar todos os produtos de origem alimentícia que chegam do Brasil, já barrou 11% da mercadoria brasileira de carne fresca. “Esse valor é substancialmente superior à taxa de rejeição de um por cento das remessas do resto do mundo”, informou a nota do governo estadunidense.

A suspensão dessa semana deveu-se a uma reação provocada por componentes presentes na vacina contra a febre aftosa, que foi identificada pela autoridade sanitária norte-americana. O ministro informou que a reação encontrada na carne não apresenta nenhum risco a saúde de quem consumidor a carne.

Leia também: CNC: saques das contas inativas do FGTS injetaram R$7,2 bilhões no varejo

Nova saia justa

A proibição deixou o ministro em saia justa e o forçou a tomar medidas para reverter à situação. Ele afirmou que o governo está tomando todas as ações necessárias que finalizar a proibição e que ele irá pessoalmente aos Estados Unidos para reestabelecer as importações e as relações comerciais entre os países.

“Como é uma suspensão temporária, estaremos trabalhando na semana que vem para finalizar os planos que já vinhamos fazendo no ministério e pretendo, assim que possível, assim que os americanos receberem as informações do Brasil, me deslocar até os Estados Unidos com uma equipe para que a gente possa fazer as discussões necessárias e reestabelecer este mercado tão importante que o Brasil conquistou nos últimos anos”, disse Maggi em áudio divulgado nas redes sociais.

Investigação

Maggi informou ainda que o Ministério da Agricultura abrirá uma investigação para apurar a reação da vacina e se realmente é essa a “irregularidade” encontrada pela autoridade sanitária dos Estados Unidos.

Para completar e acalmar os produtores de carne bovina sobre a suspensão da importação dos insumos, Maggi afirmou que entende a decisão do governo dos Estados Unidos, porém que essa situação não será permanente. “Concordamos com a posição americana, vamos corrigir, porém, temos que lutar porque é um mercado muito importante”, disse ao que completou: “Vamos correr atrás e tentar resolver esse assunto o mais rápido possível já que a pecuária brasileira passa por um momento muito difícil, com preços baixos para os produtores”.

 Leia também: Carne fresca brasileira está proibida nos Estados Unidos

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.