Tamanho do texto

Motorista referente ao caso alega não compreender a reclamação do usuário, visto que ele mesmo arcou com o cancelamento da viagem; veja

Na última segunda-feira (5) o consumidor Silvio Doria divulgou em sua página do Facebook um post de denúncia referente à postura de um motorista da Uber. No texto, Doria aponta que seu irmão foi debochado pelo mesmo após solicitar um “uberPOOL”,  modalidade do serviço caracterizada por permitir o compartilhamento do veículo com outros solicitantes.

Leia também: Direito do consumidor: o que a Uber faz em casos de acidente?

Caso uberPOOL: embora o cliente lamente o ocorrido, ele aponta que reconhece que se trata de um caso isolado, e que pretende continuar como usuário
Divulgação
Caso uberPOOL: embora o cliente lamente o ocorrido, ele aponta que reconhece que se trata de um caso isolado, e que pretende continuar como usuário

Em entrevista ao Brasil Econômico, Doria relatou que no último domingo (4), por volta das 21h solicitou o serviço do Aeroporto de Congonhas. Logo após a confirmação da demanda pelo uberPOOL , o motorista enviou uma mensagem ao cliente, dizendo “Pool?”. No chat, Silvio respondeu que “sim” e foi replicado com “tá de brincadeira?”.

“Percebi que ele iria cancelar e mandei minhas coordenadas com esperança que ele me achasse com facilidade para seguir viagem, então ele debochou dizendo que eu devia pegar um ônibus”, afirmou o consumidor .

Conversa postada pelo cliente em seu Facebook pessoal
Reprodução/Facebook
Conversa postada pelo cliente em seu Facebook pessoal


Denúncia

Na plataforma há uma área disponível para o cliente realizar reclamações e elogios aos profissionais da Uber. O consumidor aproveitou esse espaço para fazê-lo, mas comenta que até o momento recebeu uma mensagem padrão da empresa e chega a duvidar se a mesma foi lida.

Embora o cliente lamente o ocorrido vivenciado com seu irmão, ele aponta que reconhece que se trata de um caso isolado, e que pretende continuar como usuário. Ainda em entrevista, o consumidor releva que diante da crise econômica vivida no País espera que o profissional não seja banido pela postura.

Em nota, a Uber informa que esta não é a experiência que a empresa deseja oferecer a seus usuários, uma vez que esse tipo de comportamento configura violação aos termos de uso da plataforma e que a conta do motorista parceiro foi desativada.

Leia também: Motorista de Uber tem vínculo empregatício negado e recebe multa

Outros casos

Em maio o Brasil Econômico também divulgou uma matéria referente à reclamação de consumidoras sobre a empresa.

Após o motorista apresentar sinais de sono durante o percurso, umas das usuárias chamou a atenção do mesmo que se irritou com a postura das clientes e solicitou que as mesmas se retirassem do veículo. Nesta ocasião, a Uber reembolsou em 100% a usuária que fez a denúncia na própria plataforma.

Após ser localizado pelo Brasil Econômico, o motorista referente ao caso do uberPOOL alegou não compreender a reclamação do usuário, visto que ele mesmo arcou com o cancelamento da viagem, não deixando qualquer prejuízo ao passageiro.

“Infelizmente essa corrida foi aceita de forma incorreta. Eu não aceito esse tipo de chamada ‘uberPOOL’ pelo fato de enormes índices de assalto e problemas. A mensagem em nenhum momento foi desrespeitosa, apenas indico uma forma mais em conta, pois o valor dessa corrida não cobre o custo de combustível, manutenção sequer uma eventual multa. O solicitante fez [a demanda] de dentro do aeroporto, ou seja, viaja de avião e quer andar de carro limpo, com ar condicionado e pagar pelo valor de um ônibus”.  O motorista também enfatiza que em todas as suas corridas possui ótimas avaliações, e que 100% dos seus passageiros não utilizam essa modalidade.

*Com edição de Flávia Denone

Leia também: Justiça altera decisão e nega vínculo empregatício entre Uber e motorista

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.