Tamanho do texto

O resultado positivo foi apurado pelo IBGE na comparação com o quarto trimestre do ano passado; na comparação anual o PIB teve queda de 0,4%

Brasil Econômico

Após oito trimestres de queda, PIB tem crescimento de 1%, apontou o IBGE
shutterstock
Após oito trimestres de queda, PIB tem crescimento de 1%, apontou o IBGE


Após oito trimestres, ou seja, dois anos o Produto Interno (PIB) do País apresentou alta. Na comparação com o quarto trimestre do ano passado, indicador teve crescimento de 1% no primeiro trimestre encerrado em março, dado esse com ajuste sazonal.

Leia também: Taxa Selic cai para 10,25% ao ano e chega ao menor nível desde janeiro de 2014

O resultado é oficial e foi divulgado nesta quinta-feira (1) pelo Instituo Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Mesmo com o sinal de recuperação, ao comparar o crescimento do PIB com o primeiro trimestre do ano passado, o indicador teve recuo de 0,4%.

O resultado acumulado dos quatro últimos trimestres terminados no primeiro trimestre deste ano, o PIB teve queda de 2,3% em relação aos quatro trimestres imediatamente anteriores. Segundo o IBGE , em valores correntes, o PIB no primeiro trimestre de março de 2017 totalizou R$ 1,6 trilhão. 

Indicadores negativos

O Valor Adicionado a preços básicos teve variação negativa de 0,3% e os Impostos sobre Produtos Líquidos de Subsídios recuaram em 0,8%.

Dentre as atividades que contribuem para a geração do Valor Adicionado, a Agropecuária cresceu 15,2% em relação a igual período do ano anterior. A Indústria sofreu queda de 1,1%. O valor adicionado de Serviços caiu 1,7% na comparação com o mesmo período do ano anterior.

Pelo oitavo trimestre seguido, todos os componentes da demanda interna apresentaram resultado negativo na comparação com igual período do ano anterior. No primeiro trimestre de 2017, a Despesa de Consumo das Famílias caiu 1,9%.

Leia também: Do corporativo ao  e-commerce próprio: veja como surgiu a We Love Focinhos

Esse resultado pode ser explicado pelo comportamento dos indicadores de crédito e mercado de trabalho ao longo do período. A Formação Bruta de Capital Fixo sofreu contração de 3,7% no primeiro trimestre de 2017, a décima segunda consecutiva.

No setor externo, as Exportações de Bens e Serviços apresentaram crescimento de 1,9%, enquanto que as Importações de Bens e Serviços se expandiram em 9,8% no primeiro trimestre de 2017.

Valor financeiro

Do montante arrecadado no período – que foi de R$ 1,6 trilhão, R$ 1,381 trilhão são referentes ao Valor Adicionado a preços básicos e R$ 213,6 bilhões aos Impostos sobre Produtos líquidos de Subsídios.
A Agropecuária registrou R$ 93,4 bilhões, a Indústria R$ 291,1 bilhões e os Serviços R$ 996,4 bilhões no primeiro trimestre deste ano.  Entre os componentes da despesa, a Despesa de Consumo das Famílias totalizou R$ 1,004 trilhão, a Despesa de Consumo do Governo R$ 307,6 bilhões e a Formação Bruta de Capital Fixo R$ 248,6 bilhões.

Ministros

Tanto o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles , quanto o do Planejamento, Dyogo Oliveira vinham sinalizando a alta do PIB. Na quarta-feira (31) Oliveira antecipou o resultado ao afirmar que ele seria positivo e que o País saiu da crise econômica

Leia também: JBS se torna alvo de dois inquéritos por atuação no mercado de dólar e ações

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.