Bovespa, Itaú Unibanco e Bradesco levantam mais de R$ 100 milhões na R3
iStock
Bovespa, Itaú Unibanco e Bradesco levantam mais de R$ 100 milhões na R3

Em conjunto com outras instituições do mercado financeiro internacional, a Bovespa, o Bradesco e o Itaú Unibanco participaram da rodada de financiamento (series A) da R3, com objetivo de acelerar o desenvolvimento da tecnologia de distributed ledger technology (DLT) e suas aplicações.

Leia também: Maria Silvia renuncia à presidência do BNDES e Temer nomeia Paulo Rabello

Vale ressaltar que o valor levantado pela Bovespa na R3 foi superior a R$ 100 milhões, com participação de cerca de 40 investidores estratégicos de mais de 15 países. Com isso, as três entidades seguem em linha com potencial inovador, participando de um modelo colaborativo que impulsiona e moderniza os serviços financeiros.

Os recursos serão usados para acelerar o desenvolvimento da tecnologia e expandir parcerias estratégicas para implantação de produtos, com enfoque na Corda, plataforma DLT da R3 elaborada para instituições financeiras. Os esforços também serão utilizados em sua rede de infraestrutura para dar suporte a aplicações financeiras criadas por parceiros.

Atualmente, o consórcio integra mais de 80 bancos, câmaras de compensação, bolsas, fornecedores de infraestrutura de mercado, gestores de ativos, bancos centrais, reguladores, associações comerciais, firmas de serviços profissionais e empresas de tecnologia para o desenvolvimento de aplicações comerciais de DLT para a indústria de serviços financeiros.

Você viu?

Leia também: Maioria dos brasileiros não faz nenhum tipo de poupança financeira, diz pesquisa

CVM

Na sexta-feira (26), aconteceu a sétima Mesa Redonda com a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) sobre Fundos de Investimento Imobiliário. O evento reuniu as duas instituições e participantes do mercado com o regulador para a discussão de temas considerados importantes para o mercado.

Durante esta edição, além da programação normal, foi anunciado o convênio entre a B3 e a CVM, no qual a Bolsa passa a assumir atividades em cooperação com a entidade. O convênio tem um prazo estipulado de cinco anos, com possibilidade de prorrogação de mais cinco anos.

O evento contou com a participação da diretora de regulação de emissores, Flavia Mouta, o presidente da Câmara Consultiva do Mercado Imobiliário, André Freitas, o presidente do comitê de produtos financeiros imobiliários da Anbima, Reinaldo Lacerda, o superintendente de relações com investidores institucionais, Daniel Maeda e o gerente de acompanhamento de fundos estruturados, Bruno Gomes, ambos da CVM. O superintendente de acompanhamento de fundos de investimento, Jorge Tambucci, também estava presente, representando a Bovespa.

Leia também: JBS pagará indenização de R$ 10 milhões para trabalhadores demitidos em 2011

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários