Tamanho do texto

Classificações malfeitas e descrições podem atrapalhar a experiência dos consumidores no e-commerce, já que os desviam dos produtos desejados

Brasil Econômico

Classificações malfeitas podem desviar os consumidores no e-commerce
iStock
Classificações malfeitas podem desviar os consumidores no e-commerce

Com a busca de reverter os resultados negativos com a ajuda do marketplace, expondo produtos em sites de grandes redes de comércio, o e-commerce ou comércio eletrônico, deve movimentar por volta de R$ 115 bilhões em 2018, de acordo com uma estimativa feita pela consultoria Mintel.

Leia também: Anvisa proíbe venda de condicionador, colírio e antiácido; veja quais são

Porém, mesmo com a evolução das estratégias usadas no e-commerce e da inspiração em empresas estrangeiras mais experientes como a Amazon, ainda há alguns pontos fundamentais relacionados à inteligência de preços que são esquecidos por grande parte dos comerciantes e que podem fazer toda a diferença para o consumidor.

De acordo com o empresário e criador do site Dica de Preço, Leonídio de Oliveira Filho, devido à alta velocidade de trocas de preços na loja virtual, a inteligência de preços se tornou indispensável para se posicionar diante da concorrência.  Entretanto, também precisa estar  limitada ao possível prejuízo, sempre se atentando ao detalhe da variação de preços, para que não chegue ao ponto de não garantir os já entregues em campanhas de marketing.

Experiência do consumidor

O empresário também destaca o impacto negativo na experiência do consumidor, causado pelo despreparo de profissionais técnicos e operacionais, uma vez que em sua maioria os programadores técnicos estão focados no prazo de entrega e, com isso, erram com a duplicidade de produtos, descrições truncadas, links quebrados e arquivos que serão entregues a parceiros e que acabam frustrando o cliente.

Leia também: Veja dicas para melhorar o ambiente de trabalho e aumentar a produtividade

Outro fator que influencia negativamente são as classificações malfeitas que desviam o consumidor do seu produto desejado, como é o caso de celulares inseridos em categorias de utensílios domésticos, por exemplo. Problemas com as descrições dos produtos também são comuns, podendo confundir o comprador.

Por outro lado, a mesma internet que atrapalha também potencializa e impacta os resultados positivamente, já que também pode favorecer pequenos detalhes com ferramentas e recursos de big data, auditoria e inteligência de preços - o que ajuda nas parcerias com experiência de vendas e que sabem identificar os problemas que afetam as compras dos consumidores, gerando assim, um e-commerce de sucesso.

Leia também: Consumidor muda os hábitos em momentos de crise econômica