Tamanho do texto

Com R$ 65 mil e vontade de empreender, Marcela Silva lançou o Maná Clube, em que consumidor poderá escolher experiências gastando pouco por isso

A empresária Marcela Silva criou o clube de benefícios Maná
Divulgação
A empresária Marcela Silva criou o clube de benefícios Maná

A crise econômica faz o consumidor cortar custos. Idas a salões de beleza, bares, restaurantes e cinemas passa a ser considerado supérfluo, quando a situação financeira aperta e as contas começam a pesar no orçamento. Para tentar trazer os consumidores para as ruas novamente, a empreendedora Marcela Silva, criou o programa de benefícios Maná Clube.

Leia também: Da área têxtil ao churrasco profissional: como o hobbie de Lee virou trabalho

Ao trazer o conceito dos passes turísticos comuns na Europa, Marcela pretende implementar a cultura dos clubes de benefícios aos consumidores brasileiros, que ainda carregam o estigma de quer ir a locais desconhecidos vai muito além de suas possibilidades financeiras. “Eu me inspirei nos ‘pass’ que os museus e demais pontos turísticos europeus vendem com descontos. Você paga um valor fixo que dá direito a entrar de graça em vários locais”, disse ela.

A empreendedora de Florianópolis, no Sul do País, em primeiro momento vai lançar a ferramenta de benefícios na região para depois expandir para o restante do País. “Já temos parceria com 10 empresas de Florianópolis, com foco em academias e clínicas de estética”, explicou Marcela ao evidenciar que em breve o clube de vantagens Maná será ampliado em parcerias com restaurantes e futuramente com opções turística. “A ideia é fechar parcerias com prefeituras para oferecer no Maná Clube opções culturais também”. Dos parceiros, destaque aos nomes:  academia Crossfit Cordylus, refeições naturais delivery da Leve Delivery e as Óticas Catarina. 

Para o consumidor o Maná Clube trabalhará com planos mensais com dois valores distintos: um de R$ 9,90 e outro de R$ 21,90, mas por ser novidade no mercado, durante seis meses os consumidores poderão se cadastrar de forma gratuita e ter acesso aos benefícios ofertados pela plataforma. “Com isso vamos dar acesso a todos os consumidores, provando que é possível ter experiências diferenciadas sem gastar muito para isso”.

Indo além dos descontos, o Maná Clube vai ofertar aos consumidores outras formas de vantagens. “Vamos desenvolver planos de fidelidade em que a pessoa acumulará pontos e poderá trocar por serviços ou por parte do dinheiro investido, sistema esse conhecido como cashback ”.  

Leia também: Nutricosméticos ganham a atenção dos consumidores brasileiros

Como funciona

Os consumidores interessados em aproveitar as experiências que serão disponibilizadas pelos estabelecimentos cadastrados no Maná, deve se cadastrar pelo site. No ambiente poderão verificar quem são os parceiros e se programa para aproveitar os descontos . “O cliente, ao entrar no estabelecimento escolhido e parceiro do Maná deve informar que faz parte do clube de benefícios e apresentar um documento com foto”, explicou à empresária.

Marcela informou ainda que, os consumidores cadastrados terão acesso a uma carteira virtual – Nix Wallet, desenvolvida pela Nexxera . Ele nada mais é que um cartão virtual, em que o consumidor poderá pagar as despesas, assim como os cartões de débito e crédito disponíveis no mercado atualmente.

Plano de negócios

 A ideia surgiu em 2015 e com a ajuda do Grupo Nexxera, Marcela Silva, além de oferecer vantagens aos consumidores, “tirá-los de casa” como define a empresária, terá opções especiais aos parceiros. “Por ter como incubadora a Nexxera, empresa fundada por meu pai, vamos oferecer serviços adicionais aos parceiros”.

A intenção, ao também atuar no segmento business to business , é conceder outras possibilidades aos estabelecimentos comerciais que farão parte da plataforma de benefícios, de ir além de aumentar suas vendas e seu fluxo de clientes. Vale lembrar que a Nexxera, que é parceira de negócios do Maná Clube oferece uma série de soluções em pagamento móvel e soluções para e-commerce. Marcela investiu R$ 65 mil para o desenvolvimento de seu negócio e esperar ter retorno do valor (que foi próprio) em dois anos. “A intenção é desenvolver o Maná Clube para todo o País”.

 Leia também: Filho de imigrantes parou no Brasil por acaso e hoje comanda três empresas

    Leia tudo sobre: Empreendedorismo