Tamanho do texto

Trabalhadores que foram demitidos por justa ao causa ou que pediram desligamento da empresa podem sacar dinheiro retido na Caixa Econômica

O benefício de sacar o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) inativo tem como principal intuito, segundo o governo, ajudar a melhorar a atividade econômica do País. Entretanto, atualmente 39% da população brasileira, ou seja, 59 milhões estão inadimplentes devido à crise econômica vivida.

Leia também: Empresa pagará indenização a funcionária que levou pedrada ao voltar para casa

FGTS: Especialista orienta que brasileiro quite dívidas e caso sobre dinheiro, invista para o futuro
shutterstock
FGTS: Especialista orienta que brasileiro quite dívidas e caso sobre dinheiro, invista para o futuro


Especialistas em finanças pessoais e entidades ligadas ao setor de crédito têm indicado aos trabalhadores que usem o dinheiro do FGTS para quitar dívidas, fato esse que poderia trazer um pouco de tranquilidade financeira neste momento de instabilidade.

A opinião é compartilhada pelo co-fundador da Kitado – plataforma online de negociação de dívidas, Alexandre Lara. "A prioridade dos trabalhadores deve ser se planejar e programar o pagamento de dívidas, começando pelas ativas, como cheque especial e rotativo do cartão de crédito", disse.
 Para ajudar a colocar as contas em dias, Lara listou quatro dicas para quem tem direito a sacar o valor que estava parado.

1- Planeje-se

Ter noção da atual situação financeira e se existem contas atrasadas é a primeira dica do especialista. “Criar um orçamento familiar é o melhor caminho para visualizar os gastos e aplicar corretamente o dinheiro para liquidar as dívidas, sem comprometer as demais contas do dia a dia da casa”, explica Lara. “O orçamento familiar dará esse panorama para que os brasileiros possam mapear quais débitos devem ser liquidados primeiro e quais são os subsequentes, sem que haja um comprometimento muito grande da renda e não atrapalhe a vida financeira dele”, complementa.

Leia também: Consumidores podem renegociar dívidas pela internet até o fim de maio


2- Pense bem

 O brasileiro tem como costumo fazer parcelamentos menores, com a impressão de que as parcelas vão acabar rápido e terão menos juros. Porém, o especialista explica que as várias parcelas de valor alto podem atrapalhar as contas essenciais. “Pode demorar para quitar a dívida, mas você saberá que outras contas irão surgir e o seu orçamento financeiro está preparado para absorver esse débito, sem maiores comprometimentos e sem correr o risco de criar um novo débito”, diz.


3- Livre-se das mais caras

Quitar as dívidas que têm os juros mais altos no atraso deve ser prioridade ao brasileiro neste momento, em especial as dos cartões de crédito. “Se você não conseguir quitar a dívida, tente diminuí-la ou dissolvê-la em parcelas menores, porém fique sempre atento ao orçamento familiar para não se enrolar novamente e comprometer outras contas importantes”, explicou o especialista

Para Lara, o saldo inativo do FGTS pode ser uma boa saída para negociar e dar uma entrada de valor considerável. “Se bem planejado, é possível quitar a dívida ou diminuí-la, dando uma boa respirada e dando a volta por cima na vida financeira”, aconselha.

4- Sobrou? Invista

Se você já quitou suas dívidas e sobrou dinheiro do FGTS, a dica é fazer um investimento. “Aplique a quantia restante para planos futuros. Escolha investimentos mais seguros, como renda fixa ou Tesouro Direto, mas sempre escolha a opção com menor taxa de administração”, concluiu ele.

Leia também: PEC 287/2016: veja o que fazer para garantir uma boa aposentadoria