Brasil Econômico

Brasil Econômico

A boa oferta de frutas, legumes e verduras em abril contribuíram para a queda dos preços em abril. De acordo com dados divulgados nesta sexta-feira (5) pelo Índice de Preços da Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo (Ceagesp), que calcula o valor dos alimentos frescos no mercado, os preços apresentaram queda de 1,59% em abril.

Leia também: Reforma trabalhista: entenda o que é e como pode impactar a vida do trabalhador

Divulgado mensalmente, o indicador considera a variação de preços de 150 itens do atacado de frutas, legumes, verduras, pescado e diversos . De acordo com a Ceagesp, o clima no mês passado contribuiu para o desenvolvimento das culturas, propiciando melhores ofertas e diminuindo as perdas com as chuvas. Ao mesmo tempo, o mercado sofreu com a menor demanda pelos produtos.

undefined
Divulgação/Pixabay
Setor de frutas foi o que mais contribuiu para queda dos preços em abril, segundo o indicador da Ceagesp

Leia também: Inflação de famílias com renda de até 2,5 salários mínimos recua em abril

Para os próximos meses, a companhia prevê a continuidade dos preços e a manutenção do nível de ofertas, desde que o frio não seja muito intenso. No acumulado para o primeiro quadrimestre do ano (entre janeiro e abril), o indicador acumula queda de 0,61% na comparação com o mesmo período do ano passado. Segundo o levantamento, o cenário deste ano é mais vantajoso para o consumidor, já que, em 2016, o índice acumulou alta de 15,55% no período.

Preços de frutas recuam 3,8%

O setor de frutas foi o que mais contribuiu para a queda do indicador da Ceagesp. Com queda de 3,8% em abril, a categoria foi influenciada, principalmente, pelas diminuições nos preços da melancia (-29,5%), atemoia (-23,5%), laranja lima (-21,6%) e da pera (-19,8%). As principais altas foram registradas no preços da manga Tommy Atkins (24,8%), morango (17,5%), abacate quintal (15,9%) e manga Palmer (15,1%).

No período, o setor de legumes caiu 3,39%, influenciado pelas quedas na ervilha torta (-36%), vagem macarrão curta (-25,4%) e pepinos comum (-21,9%) e japonês (-20,3%) e nas altas do pimentão verde (20,4%), do tomate (16,1%) e do quiabo (15,6%).

Leia também: Rescisão indireta: saiba quando o trabalhador pode "demitir" a empresa

Quanto ao volume, a comercialização de frutas, legumes, verduras, pescado e diversos no entreposto de São Paulo somou 253.472 toneladas em abril. O resultado representa queda de 7,5% na comparação com o mesmo período de 2016 e de 13,2% em relação a março. No acumulado do quadrimestre ocorreu aumento de 0,51%, com o volume passando de 1.083.066 toneladas nos primeiros quatro meses do ano passado para 1.088.638 toneladas neste ano.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários