Tamanho do texto

A cada cinco minutos, cerca de 20 trabalhadores morrem por acidentes fatais e cerca de 3 mil sofrem acidentes ao redor do mundo, segundo pesquisa

No Dia Mundial da Saúde e Segurança no Trabalho, comemorado nesta sexta-feira (28) a Organização Internacional do Trabalho (OIT) informou que cerca de 2,3 milhões de pessoas morrem e 300 mil ficam feridas todos os anos devido a acidentes de trabalho. O anuncio dos dados foi feito pela ONU News e segundo a OIT servem de alerta e prevenção para evitar mortos e feridos.

Leia também: Greve geral: Veja os direitos dos trabalhadores afetados pela manifestação

Acidentes de trabalho é preocupação na OIT; cerca de 2,3 milhões de pessoas morrem todos os anos
shutterstock
Acidentes de trabalho é preocupação na OIT; cerca de 2,3 milhões de pessoas morrem todos os anos


Para o diretor do Escritório da OIT em Nova York,  Vinícius Pinheiro, os dados atuais são altos e servem para expor a necessidade de melhorias em políticas de segurança no mercado de trabalho e para prevenção de acidentes de trabalho . "Hoje nós não temos muitas razões para celebrar o Dia Mundial da Saúde e Segurança no Trabalho. A cada cinco minutos, cerca de 20 trabalhadores morrem por acidentes fatais e cerca de 3 mil sofrem acidentes  ao redor do mundo”.

Além da tragédia que envolve um acidente de trabalho ele se torna extremamente oneroso aos governos. “ Isso é realmente uma tragédia muito grande e o custo disso é enorme. A OIT estima que os acidentes de trabalho custam cerca de 4% do PIB mundial em termos de dias perdidos, gastos com saúde, pensões, reabilitação e reintegração”, disse Pinheiro.

O diretor explicou que os 2,3 milhões de mortes por ano representam apenas a "ponta do iceberg", uma vez que muitos desses acidentes não são reportados as autoridades competentes, logo esses números podem ser ainda maiores.

Leia também: Veja os direitos e benefícios das pessoas portadoras de necessidades especiais

Magnitude

A coleta de dados foi evidenciada por Pinheiro como necessária para que as autoridades pudessem ter real dimensão dos fatos e entender o impacto dos acidentes e das doenças ocupacionais sobre os trabalhadores, seus familiares e economia local. Segundo a OIT, "é necessário ter um melhor sistema de dados nacionais para que as autoridades possam compreender a dimensão e as consequências dos acidentes relacionados ao trabalho, assim como ferimentos e doenças".

A partir dos chamados "dados de segurança ocupacional e de saúde, a meta é preparar políticas e estratégias eficazes para combater os problemas. A agência da ONU declarou que dados confiáveis facilitam a determinação de prioridades e servem de base para calcular o progresso no setor.

Segundo os especialistas, os países que tiverem informações corretas e atualizadas terão mais condições de implementar o plano de ação global para acabar com a pobreza, proteger o planeta e assegurar prosperidade para todos, seguindo a Agenda 2030 para o desenvolvimento sustentável das Nações Unidas.

A OIT renovou o compromisso de apoiar os esforços dos Estados-membros da ONU para aumentar a capacidade de prevenção de acidentes ocupacionais, ou acidentes de trabalho e doenças nos locais de trabalho.

* Com informações da Agência Brasil

Leia também: Aneel informa que conta de luz de maio terá bandeira tarifária vermelha

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.