Brasil Econômico

Brasil Econômico

undefined
iStock
Usuário deve escolher o melhor tipo de plano de saúde para fazer compensar seus gastos

Ter um plano de saúde, hoje em dia, é uma das formas mais eficientes de garantir acesso aos tratamentos médicos e ter assistência de qualidade caso haja alguma emergência. No mercado, existem diversas opções deste serviço, o que pode dificultar a escolha.

Leia também: Veja o que acontece aos que deixam de entregar a declaração do IR

De acordo com Marcelo Alves, diretor da Célebre Corretora de Saúde, na hora de escolher um plano de saúde , é importante fazer uma análise detalhada, considerando aspectos como idade, atividades exercidas, rotina de trabalho, hábitos, histórico de saúde, entre outros. “Se este estudo for feito de forma minuciosa, a escolha do plano será exatamente como o cliente precisa”, diz.

Tipos de contrato

Alves explica que o contratante pode escolher entre planos individuais ou familiares – aqueles contratados diretamente pelo beneficiário, com ou sem seu grupo familiar (os dependentes) – ou coletivos – que se dividem em empresarial e coletivo por adesão.

“O tipo empresarial pode ser contratado por pessoa jurídica por relação empregatícia (CLT), societária ou estatutária. Já o coletivo por adesão destina-se ao indivíduo que mantém vínculo com entidades de caráter profissional, classista ou setorial. Em grande parte desses contratos é possível incluir dependentes”, esclarece.

Em caso de contratos individual/familiar, coletivo por adesão ou empresarial com menos de 30 vidas, é estipulado, de acordo com a ANS (Agência Nacional da Saúde), prazos máximos de carência. Quando o contrato for do tipo Empresarial e possuir mais de 30 vidas, não é exigido o cumprimento de nenhuma carência.

Leia também: Confira os cinco erros mais comuns ao longo da vida financeira

Coberturas

Segundo o executivo, os planos de saúde podem ser ambulatoriais, hospitalares (com ou sem obstetrícia) e referência, sejam coletivos ou individuais. Por conta disso, é importante procurar um corretor para auxiliar o cliente a encontrar a cobertura adequada para o cada perfil. Confira todos os tipos de cobertura:

1) Ambulatorial

Esta cobertura é mais barata, contemplando número ilimitado de exames e consultas médicas realizadas em ambulatório ou consultório. Cobre atendimentos de urgência e emergência até as primeiras 12 horas, mas não cobre internação hospitalar.

2) Hospitalar

Este modelo abrange cobertura com número ilimitado de diárias em caso de internações hospitalares, bem como em caso de internação em UTI e exames complementares realizados durante o período de internação. Ainda contempla despesas com serviços de enfermagem, honorários médicos, medicamentos, alimentação e materiais utilizados.

3) Hospitalar com obstetrícia

Fora a cobertura citada acima, esta conta também com a cobertura pré-natal, além de assistência ao parto e 30 dias de cobertura ao recém-nascido, seja ele adotivo ou não, a contar da data do nascimento ou da adoção. No entanto, não há amparo para consultas e exames pré-parto.

Leia também: Mercado informal é saída para profissionais que estão desempregados

4) Referência

Um plano de saúde com cobertura de referência inclui assistência médica hospitalar e ambulatorial, sendo, nesses casos, com internações padrão enfermaria, além de consultas, exames e também parto. É a cobertura mais completa.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários