Brasil Econômico

undefined
iStock
É preciso entender que cada categoria é diferente para evitar problemas de gestão

A área de gestão de compras pode proporcionar benefícios para todos os setores de uma PME se for bem administrada. No entanto, para que essa otimização possa ser alcançada, é preciso ficar atento e evitar alguns erros que comprometam todo o planejamento e prejudicar os resultados.

Leia também: Da área têxtil ao churrasco profissional: como o hobbie de Lee virou trabalho

Pensando nisso, Carlos Campos, Sócio Diretor da Nimbi, empresa especializada em soluções para a cadeia de suprimentos, aponta quatro erros que devem ser evitados para não causar problemas na gestão de negócios. Confira:

1) Tratar os processos da mesma forma

É preciso entender que cada categoria é diferente para ser estratégico e ter uma melhor performance nas negociações. O primeiro a se fazer é uma categorização, definindo itens de matéria-prima e os itens indiretos, como materiais de escritório, ferramentas, produtos para limpeza, entre outras coisas. Depois, para cada uma das categorias será adotada uma estratégia diferente. A relação com um fornecedor de um item estratégico para a empresa requer maior atenção e cuidado na negociação. Entenda o impacto do produto para o negócio e a complexidade do mercado – se há outros fornecedores do mesmo material.

Leia também: Nutricosméticos ganham a atenção dos consumidores brasileiros

2) Não dar atenção ao TCO

Evite negociar um produto levando em conta apenas o seu preço. Ao realizar uma compra, o gestor deve considerar todos os custos envolvidos na operação, como frete e futuras manutenções. O TCO é um indicador de extrema importância, pois analisa todos os custos de uma empresa tem para manter ou adquirir certos tipos de ativos.

3) Não fazer processo de investigação dos fornecedores

É indispensável fazer uma investigação completa sobre os fornecedores, pois sua qualidade gera impacto direto sobre o sucesso das operações. Essa também é uma forma de maximizar as vantagens e minimizar riscos como má qualidade de produtos, dificuldades burocráticas, origem duvidosa e até mesmo fraudes. Avalie a confiabilidade do fornecedor utilizando a qualidade, origem e reputação como indicadores. Sempre há o risco de que os produtos sejam de precedência incerta, ou de que são produzidos de forma irregular, por meio de trabalho escravo ou infantil.

Leia também: Tem um e-commerce? Confira quatro dicas para melhorar o frete do negócio

4) Não investir na qualificação de um profissional de compras

Ter o conhecimento adequado para realizar as operações de compra é essencial. Existem diversas técnicas de negociação, balizamento de preços e gestão que um gestor deve dominar. Muitas empresas de menor porte costumam atribuir essa função para um colaborador de outra área, como alguém da área administrativa por exemplo.


    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários