Brasil Econômico

Se você é empreendedor de um e-commerce, com certeza já realizou uma compra online e identificou no tempo de espera pelo produto uma ansiedade e até mesmo certa insegurança sobre a entrega. Por conta disso, o CEO e fundador da plataforma de lojas virtuais Xtech Commerce, Alfredo Soares, listou quatro dicas para que o frete do seu negócio seja administrado da melhor forma possível.

Leia também: Tamagotchi e chocolate da Mônica: veja os produtos que voltam ao mercado

undefined
shutterstock
E-commerce: "melhorar esse procedimento torna a atividade mais competitiva frente à concorrência", avalia o especialista

Antes das avaliações, o especialista ressalta que a melhora desse procedimento torna a atividade mais competitiva frente à concorrência do e-commerce e, consequentemente, te ajuda a permanecer no mercado.

Gerenciamento                                                     

Investir no ramo de gerenciamento colabora intensamente na organização do negócio, uma vez que o sistema é capaz de trazer dados consistentes, sendo possível mapear os processos e identificar as tão temidas falhas. “Com as informações centralizadas, a verificação e o compartilhamento de dados se tornam mais ágeis porque tudo é encontrado em um único lugar. Isso facilita a comunicação entre as pessoas e os setores”, avalia o CEO.

Outro detalhe acrescentado é que cadastrar e gerenciar transportadores, acompanhar o status dos pedidos e a checagem de documentação do transporte se tornam processos mais simples após o investimento.

Leia também: Cinco dicas para quem deseja abrir uma franquia em outra cidade

Cálculo do frete

Esse é um dos pontos que está sujeito a variações, visto que não apenas as tabelas de preços e prazos variam de uma transportadora para outra, mas também questões como taxa de seguro, devolução e coleta. É importante o empreendedor ter essas informações atualizadas, para que tudo seja preciso e estável.

Redução do valor do frete

De acordo com Soares, é amplamente possível mapear na plataforma de gestão de frete quando existe a possibilidade de baixar o custo do serviço. “Além disso, outra opção é aumentar o número de parcerias com as duas partes envolvidas e estudar outros meios de entrega, como o uso do serviço de motoboy”, exemplifica o CEO. Outra alternativa é negociar as entregas com os clientes e descentralizar a distribuição dos produtos.

Automatização da gestão de frete

Com esse mecanismo é possível não só melhorar a qualidade do serviço, mas também otimizar e diminuir as chances de erro que um trabalho manual muitas vezes oferece.

“Podemos concluir que os procedimentos no e-commerce são muitos e nem sempre é possível cumprir todas as etapas com qualidade sem o auxílio da tecnologia. A gestão de fretes é um bom exemplo disso, pois os lojistas que contarem com esse tipo de suporte, irá facilitar todo o trabalho e garantir eficiência em todo o processo”, avalia Alfredo Soares.

Leia também: Mercado vegetariano: confira as principais mudanças do ramo no Brasil

    Leia tudo sobre: empreendedorismo

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários