Tamanho do texto

Os ovos de Páscoa voltaram a ser preferência dos consumidores, com alta de 9 pontos percentuais como item escolhido para presente neste período

Brasil Econômico

Consumidores pretendem gastar entre R$ 50 e R$ 200 nas compras de Páscoa
iStock
Consumidores pretendem gastar entre R$ 50 e R$ 200 nas compras de Páscoa

De acordo com um levantamento elaborado pela Boa Vista SPC, em média, 15% dos brasileiros estão dispostos a gastar mais nesta Páscoa em comparação ao mesmo período do ano passado.  Uma alta também foi observada no número de consumidores que estimam gastar entre R$ 50 e R$ 200, passando de 45% em 2016 para 51% neste ano. Cerca de 8% dos compradores afirmaram ter a intenção em gastar mais do que R$ 200. Já o valor médio pretendido para os gastos é de R$ 94, contra R$ 82 de 2016.

Leia também: Preços dos produtos mais consumidos na Páscoa subiram 0,36%, aponta FGV

Vale ressaltar que a pesquisa da Boa Vista SPC foi realizada entre 10 a 20 de março com o objetivo de coletar informações sobre hábitos de consumo, identificando assim, um total de 82% compradores que pagarão as compras de Páscoa deste ano à vista. Entre o percentual, 55% usarão dinheiro e 32% cartão de débito. Enquanto 12% pagarão as compras com cartão de crédito, em parcela única e 1% utilizará carnê ou boleto.

Ainda em relação às formas de pagamento, aproximadamente 8% dos consumidores relataram pretender parcelar as compras, e 88% confirmaram o uso do cartão de crédito para efetivar o parcelamento. Outros 11% utilizarão o carnê ou o boleto para financiar as compras e somente 1% usará cheque pré-datado.

Leia também: Tamagotchi e chocolate da Mônica: veja os produtos que voltam ao mercado

Preferências

Os ovos de chocolate voltaram a ser preferência para 54% dos consumidores em 2017, com aumento de 9 pontos percentuais como item escolhido para presentear alguém. Em comparação ao ano passado, cerca de 46% dos entrevistados têm outras preferências, como por exemplo, bombons e colomba pascal.

Já 59% asseguraram levar em conta os preços e ofertas na hora das compras da data comemorativa, ante a 33% que prezam pela qualidade dos produtos. Em comparação ao mesmo período do ano passado, a taxa de consumidores que escolhem os itens baseados nos preços caiu de 70% para 59%. Outro fator apontado é que compradores sem filhos são os que mais consideram a qualidade como fator determinante para a compra. 

Levando em consideração os consumidores por expectativa de gasto, o preço prevalece no grupo dos que estimam gastar até R$ 100 com os presentes de Páscoa. E para aqueles que efetuarão pagamentos superiores, a qualidade dos itens foi apontada novamente como o principal motivo para a compra de produtos com valores superiores a R$ 100.

Leia também: IBGE: Vendas no varejo caíram 0,2% em fevereiro