Brasil Econômico

undefined
shutterstock
Antes de abrir uma franquia em uma nova cidade, é importante conhecer a concorrência

Deixar uma grande cidade para trás e viver tranquilamente no interior é o sonho de muitas pessoas. Existem também aqueles que simplesmente desejam mudar de cidade e abrir uma franquia por acreditar que as opções no lugar em que vivem atualmente são reduzidas.

Leia também: Home office ou coworking: qual a melhor opção para empreendedores?

A cautela, no entanto, é essencial em ambos os casos. É preciso tomar muito cuidado em relação a uma série de pontos, que vão desde a escolha do segmento em que o empreendedor vai atuar até as marcas que serão escolhidas para o trabalho, por exemplo. “ Franquia não é um bilhete de loteria, no qual você aposta e, se não ganhar, joga novamente na próxima semana", diz Eládio Toledo, Diretor da US Franchising, consultoria especializada em Expansão de Redes, Varejo e Franchising. 

"É um investimento a longo prazo, em que, provavelmente, você colocará toda a economia de uma vida num negócio no qual trabalhará diariamente. Além de investir dinheiro, você depositará ali seu tempo, seu suor e dedicação. Por tudo isso, é imprescindível agir com muita estratégia”, prossegue.

Toledo, que auxilia franqueadoras na expansão de suas redes pelo Brasil há mais de 20 anos e, como consequência, empreendedores a encontrarem marcas e segmentos adequados aos seus respectivos perfis, diz ver uma grande quantidade de pessoas interessadas em partir para outra cidade. “Algumas, porque querem uma vida mais tranquila, no interior. Outras, porque a escassez de ponto comercial nas capitais as faz pensar em investir em cidades menores", diz o especialista."Seja qual for o motivo, elas precisam de orientação, porque é preciso conhecer bem a localidade para investir em qualquer franquia”, completa.

Pensando nisso, Toledo elaborou uma lista com dicas para as pessoas que desejam mudar de cidade e abrir uma franquia para se estabelecer com um negócio próprio. Saiba quais são e entenda os motivos da importância de cada um dos passos apontados pelo especialista:

1) Conheça a cidade

Ter conhecimento sobre a cidade para a qual você deseja se mudar e saber tudo sobre o seu potencial econômico é o passo inicial. Não se faz nenhum negócio antes de conhecer todos os indicadores econômicos oficiais de uma localidade.

A partir do momento em que você decide se mudar para uma nova cidade e fazer investimentos nela, é importante procurar a prefeitura, câmara municipal e a associação comercial e pedir acesso aos números locais. Essa pesquisa também pode ser feita pela Internet.

Você deve procurar saber se essa é uma cidade-dormitório (aquela em que as pessoas apenas moram, mas não trabalham), quantas indústrias estão instaladas nela, quantas empresas de outros segmentos, qual é o número de habitantes e população flutuante (se ela for uma cidade turística, nos finais de semana, feriados e férias terá uma população muito maior do que nos dias úteis), quantos shoppings, ruas comerciais, bancos, supermercados, universidades e outros indicadores que mostrem se é uma cidade com bom potencial para o negócio que deseja implementar ou não.

Leia também: As 7 principais dificuldades das mulheres no mundo corporativo

“Com tais dados em mãos, você conseguirá avaliar melhor o tipo de negócio a ser implantado. Por exemplo: uma cidade repleta de crianças pode precisar de cursos de idiomas. Já uma cidade com maior número de idosos necessita de serviços voltados a este público, enquanto a localidade com grande frota de veículos pode precisar de serviços automotivos”, explica o consultor.

2) Avalie os negócios já instalados e a concorrência

A segunda etapa para quem deseja mudar de ares e abrir um negócio próprio é buscar pleno conhecimento sobre o comércio da cidade. Tente visitar as principais ruas comerciais e conversar com os proprietários de lojas. Vá aos shoppings da região e tente avaliar o modo de comportamento dos consumidores.

“Apenas fazendeo um trabalho de campo é que você entenderá o local e suas particularidades. Aproveitando o exemplo acima, a cidade pode ter uma frota imensa e já ter muitos serviços automotivos. Você só saberá analisando a concorrência”, explica Toledo.

3) Descubra os pontos comerciais

Você precisa saber se a cidade tem pontos comerciais interessantes para instalar o seu futuro negócio. Procure por imobiliárias na cidade e também pelos shoppings. É nesses locais que você descobrirá se existem pontos adequados para que você dê início ao seu trabalho como franqueado de alguma rede. “Às vezes, a cidade é ótima, mas, já não tem tantos pontos disponíveis ou eles são tão caros que inviabilizam o investimento”, comenta Toledo.

4) Encontre suporte em uma empresa

Depois de ter seu estudo realizado e, consequentemente, um planejamento mais direcionado, procure por franqueadoras que consigam prestar suporte adequado naquela cidade. Você escolheu já escolheu o local e a área de atuação, agora precisa escolher as marcas mais interessantes. Porém, como saber por qual optar?

“Não adianta a marca ser ótima se ela não conseguir lhe entregar produtos ou prestar suporte onde você estiver. E se você precisar pagar o treinamento e as visitas do franqueador a um valor exorbitante, também inviabilizará o negócio. Isso pode parecer um mero detalhe, mas, não é. Já vi casos em que o franqueado desistiu da marca porque não conseguia custear a supervisão e o treinamento e, sem esses itens fundamentais, não tinha um bom desempenho. O correto é ser franqueado de uma marca que tenha todas as condições de lhe atender plenamente naquela cidade”, alerta.

5) Ajuda especializada

Todos os passos anteriores exigem muito tempo, estratégia e conhecimento básico relacionado ao mundo dos negócios. Por conta disso, existem empresas que facilitam a busca por uma franquia e oferecem auxílio em todos os passos apresentados ao futuro franqueado.

Leia também: Veja 12 dicas para manter as finanças pessoais em dia durante a Páscoa

“Como nós realizamos a expansão de diversas redes, cruzamos o perfil do investidor com as oportunidades existentes no banco de dados das franqueadoras e apresentamos a ele opções que se adequem à cidade em que deseja investir. Esta é uma maneira de minimizar riscos, porque já realizamos o estudo de viabilidade do negócio e sabemos que aquela localidade tem potencial para a marca. Também auxiliamos na negociação do ponto, principalmente com shoppings, e em toda a implantação. Sem dúvida, hoje, essa é uma opção que contempla as necessidades dos futuros franqueados, sem ônus, e das franqueadoras”, finaliza Toledo sobre a abertura de uma franquia.

    Leia tudo sobre: Empreendedorismo

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários